Review: Space Spiral Earthquaker Devices

Published on maio 23rd, 2018

 

Acabamento/Construção/Embalagem

A Earthquaker Devices já é uma empresa totalmente estabelecida no mercado e conhecida por seus pedais “diferentes”, não só pelo aspecto sonoro quanto pelo acabamento dos seus pedais. O Space Spiral se mantém no (ótimo) padrão do fabricante. O acabamento do pedal é impecável, pintado na cor prata e com knobs e arte na cor branca, o que gera um ótimo contraste. O único detalhe é que por conta da escolha das cores, o pedal reflete muita luz, então pode ficar um pouco difícil enxergar o nome dos controles em algumas situações (nada que com um tempo usando o pedal não se resolva).

A construção também possui um padrão altíssimo, com uma placa muito bem montada e com ótimos componentes. O in e out ficam na parte “superior” pedal juntamente com a entrada para fonte de alimentação. Falando em alimentação, esse pedal só pode ser alimentado via fonte (centro negativo, padrão Boss) já que não possui entrada para bateria. Já faz um tempo que o fabricante aderiu ao sistema “soft switch”, que elimina aquele “pop”no acionamento do pedal.

A embalagem é completamente personalizada e muito bonita, já identificando que se trata de um produto da Earthquaker. Acompanham o pedal um manual explicando as funções e controles, com uma descrição do efeito, um catálogo com toda a linha do fabricante e um adesivo. Excelente!

 

Timbres

Como já é de se esperar, um produto da Earthquaker Devices sempre oferece um algo a mais (e isso é uma construção de marca e tendêndia do fabricante que realmente impressiona.). O Space Spiral é um delay digital que oferece de 30 a 600ms com uma forte carga de modulação. E esse é o grande diferencial do pedal.

A sonoridade do delay, apesar de digital, tem um apelo lo-fi, lembrando de muitas sonoridades de meados da década de 80. Os três controles do delay são padrão dos modelos do tipo, mas o controle de mix não oferece um som 100% só de delay. As repetições são muito bem definidas, com os agudos bem perceptíveis apesar de uma (proposital) escuridão nas sonoridades, que remetem a sonoridades um pouco mais lo-fi. Isso ajuda bastante na hora do delay não desaparecer quando utilizado ao vivo. As repetições oferecem uma textura bem legal, que vão agradar aos amantes de delays analógicos e não afastam aqueles que preferem as sonoridades digitais.

A seção de modulação é, certamente o grande destaque do pedal. Os controles de Depht e Rate oferecem regulagens de velocidade e profundidade comuns em do tipo e o knob Shape modifica o tipo de onda, de triangular para quadrada, quando o knob é girado. A modulação interage de maneira intensa com o delay, inclusive de acordo com o tempo da repetição. Configurações de controle pouco ortodoxas recompesarão o músico com texturas surpreendentes! O controle Shape pode deixar as coisas bem malucas, para os que quiserem se aventurar por territórios inóspitos e selvagens.

Se você gosta de sons experimentais, viagens sonoras e barulhos esquisitos, tudo isso somado a um delay bem bacana, existe uma enorme possibilidade de gostar desse pedal. Com a quantidade de possibilidades oferecidas pelo Space Spiral, você vai poder embarcar numa deliciosa viagem sonora por um longo período…

 

Facilidade de Usar/Achar bons timbres

Os controles do Space Spiral possuem uma  enorme sensibilidade, o que torna o processo de descobrir as sonoridades que o pedal pode oferecer bem satisfatório. Como os os controles do delay são comuns a outros delays, vale a pena investir um tempo nos controles de modulação (especialmente no Shape) e ver como eles interagem com os controles do delay. São muitas sonoridades e possibilidades. É um pedal fácil de se usar, mesmo com as sonoridades diferentes que ele oferece.

Regulagem Favorita

Time: 1:00h

Repeats: 12:00h

Mix: 2:00h

Depht: 1:00h

Shape: 9:00h

Rate: 1:00h