O Mito do Guru e a busca da informação perfeita

Published on novembro 2nd, 2015

Vivemos numa época singular. O ~Advento~ das redes sociais proporciona uma quantidade incrível de informações que são derramadas nas nossas timelines diariamente e tem o poder de criar figuras mitológicas que tem a capacidade de arregimentar multidões, em busca de seus sábios conselhos e opiniões: Os Gurus.

O surgimento dessas figuras se dá por um conjunto de fatores. De um lado, consumidores ávidos por receber uma opinião pronta, mastigada, aquela dica singular que os iluminará na sua jornada em busca (no nosso caso) do timbre perfeito. Do outro lado, a perigosa vaidade que paira sobre os criadores de conteúdo, que vestem a capa de especialistas (e muitos realmente o são) mas que em busca de audiência e visualizações oferecem um conteúdo cada vez mais raso, já que o público busca respostas simples e diretas que satisfaçam suas dúvidas e ansiedades, sem precisar se aprofundar muito. E aí, surge o tão famigerado comportamento de manada…

fuja-dos-gurus

Sempre me preocupo quando alguém vem me pedir uma recomendação de um pedal ou equipamento. Afinal, como vou poder sugerir algum Overdrive para alguém que eu nunca vi/ouvi tocar na vida? Sem saber quais são as suas preferências e referências? Sem saber onde e como ele toca? E mesmo com todas essas informações ainda entra um critério completamente intransferível: Gosto pessoal. Essa é uma responsabilidade que muitas pessoas desprezam, ao saírem despejando por aí suas dicas e sugestões. O que funciona pra mim pode não funcionar para você! E isso é por demais comum! Só que o dinheiro que vai ser gasto na compra não é o meu, é o SEU! Viu um review aqui no Pedais & Efeitos em que eu dei o selo TOP ao pedal? Bacana! Mas não vá comprá-lo só por causa disso! Procure outras informações! Veja se a proposta do pedal se encaixa na sua proposta sonora, no seu gosto!

Deixem-me esclarecer a questão: Não estou criticando o ato de se pedir ajuda a alguém com mais experiência. Longe disso! Essa troca de informações é salutar e saudável. A questão é quando  o solicitante trata a informação passada a ele como verdade absoluta ou quando o formador de opinião acredita piamente que a opinião dele é única e verdadeira, e que deve servir de regra para todo mundo. Porque é melhor perguntar a opinião de dezenas de desconhecidos num grupo de facebook do que empreender uma pesquisa aprofundada e detalhada sobre determinado pedal? Ler, ver e ouvir o que já foi publicado por ele em várias fontes e canais. As perguntas em Fóruns e em redes sociais devem fazer parte de todo o processo, e não servir como muleta ou preguiça para se aprofundar.

Nesse processo todos tem a ganhar. Os consumidores, que passarão a ser mais exigentes na hora de pesquisar e consumir informação e o criador de conteúdo, que sabendo dessa orientação do público, vai passar a se preocupar em produzir além do supérfluo. Encare o Pedais & Efeitos como um parceiro para suas pesquisas e dúvidas. E não espere encontrar aqui soluções definitivas para nada, pois eu mesmo não as tenho.

Vamos aprender e crescer juntos?

 

*Leo Ximenes é Editor do Site Pedais & Efeitos. Save the Bacon, Save The World.