Entrevista: Tonefreak Effects

Published on maio 13th, 2016

Mais uma entrevista bacana para os nossos leitores! Fomos conversar com o Dereck Tabata, criador da Tone Freak! Confira o papo!

Tone_Freak_Effects_Logo

 

Pedais & Efeitos: Dereck, como surgiu seu interesse em pedais de efeito?

Dereck: Eu comecei a tocar guitarra com 13 anos. Após alguns anos eu consegui a minha guitarra e o meu amp, que era um solid state com um drive terrível. Assim, comecei a olhar para os pedais. O MXR Distortion II e o MXR + foram meus primeiros pedais. Depois ainda comprei um Chorus da Ibanez e um DD-3 delay da Boss. Quando fui para a faculdade, vendi todos os meus pedais e montei um rack enorme. Eu tinha o Bogner Fish Preamp original com um sistema de comutação Roctron / Bob Bradshaw que controlava um Roland SDE 3000, Yamaha SPX90II, Lexicon LXP 15 e um Quadraverb Alesis. Ainda tinha um VHT 2150 com duas caixas Mesa Boogie de 12″. Era um setup estéreo e soava muito bem.

Passados alguns anos eu resolvi abandonar o rack e voltar aos pedais e um pedalboard.

Pedais & Efeitos: E em que momento você decidiu tornar esse interesse num negócio e criar a Tonefreak?

Dereck: Quando voltei aos pedais, conheci os pedais de boutique do Alf Hermida, Paul Crochane e Sean Michael. Todos ótimos pedais mas eu estava procurando por algo mais. Lembro de desmontá-los e pensar: “Eu posso construir um desses”. Eu aprendi tudo sobre eles numa aula de engenharia na universidade sobre design de circuito. Eu comprei um kit de overdrive no Build You Own Clone, fiz um monte de perguntas, li um monte de coisas de R.G. Keen, Jack Orman e vários outros. Eu comecei a lagombeigeformular o tipo de timbre que eu queria. E eu fiz isso com vários kits. Amigos que tocavam bastante começaram a me pedir que construísse pedais para eles e eu fiz. Mais pessoas ouviram falar sobre o que eu estava fazendo e os emails começaram a chegar rapidamente.

Foi naquela época que eu decidi padronizar os projetos para que pudesse construí-los mais rapidamente. Então, eu registrei a Tone Freak LLC como empresa oficial em 2007, mesmo que eu tenha começado a fazer pedais antes disso. Tudo evoluiu. Não foi como se eu acordasse um dia e dissesse: “Eu vou começar uma empresa de pedais e fazer disso um negócio”.

A única pessoa que realmente elevou a Tone Freak a um outro nível foi o Dave Friedman. Ele gosta do meu material e nós desenvolvemos um par de pedais juntos. Dave passou a recomendar meus pedais para seus clientes e a Tone Freak realmente decolou. Dave não só constrói os melhores amplificadores de ouro, mas tem um ouvido de ouro para timbres.

Pedais & Efeitos: Qual o primeiro pedal desenvolvido e vendido sob a marca Tonefreak?

Dereck: O primeiro pedal que eu desenvolvi foi o Abunai, que significa perigoso, em japonês… Mas ele foi realmente nomeado após a chegada do meu cão que é da raça Akita. Ele costumava sentar-se aos meus pés enquanto eu estava construindo. Quando ele passou, eu instantaneamente soube como o primeiro pedal da Tone Freak deveria se chamar.

Pedais & Efeitos: Para quem ainda não conhece seus pedais, você poderia falar rapidamente sobre cada um deles e as suas características sonoras?

Dereck: Meu site possui todas as informações sobre os meus pedais como também vídeos e amostras de áudio. Qualquer pessoa que queira saber mais sobre os meus pedais é só nos visitar: www.tonefreak.com

Pedais & Efeitos: Como funciona o seu processo de desenvolvimento? Quanto tempo leva do início do processo até o pedal estar disponível para venda?

Dereck: O processo varia. O Naked Od foi bem rápido. É um circuito pequeno então a montagem da placa foi rápida. Então você tem algo como o Azalea Drive que é mais complexo e leva mais tempo no desenho da placa. A maioria dos meus pedais tem o mesmo padrão de perfuração, assim eu ganho tempo não tendo que criar um modelo para cada pedal. Eu também contrato pessoas para me ajudar com o design da placa e gráficos nos pedais. Meu artista gráfico atual é o Mike Tabata, que, acreditem ou não, não possui uma relação de parentesco comigo. Eu mesmo poderia fazer essas coisas, mas com a impressão UV, eu queria tirar vantagem e utilizar múltiplas cores nos gráficos e Mike faz um excelente trabalho. Você vai ver seu trabalho no Azalea, no Pineapple Boost e no Valencia.

Pedais & Efeitos: Qual o seu pedal mais vendido e qua o seu favorito?

Dereck:O Abunai 2 é o meu mais vendido de todos os tempos. Ultimamente eu tenho recebido um bom número de pedidos do Naked OD, sem dúvida por causa do Dave Friedman. O Naked OD funciona muito bem com todos os amp Friedman. Eu realmente não tenho um favorito… Todos eles tem uma função NakedODdiferente. Quando eu estou numa vive Alice in Chains, eu vou de Severe. Quando eu preciso de algo mais leve, eu uso o Valencia. Todos eles são intercambiáveis em vários tipos de música, mas eu mentalmente categorizo cada um.

Pedais & Efeitos: Na sua opinião, qual a principal vantagem competitiva hoje?

Dereck: Eu realmente não tenho uma vantagem competitiva. Eu construo tudo à mão. Tudo é ligado e não montado na PCB. Demora muito mais para construir um dos meus pedais. Essa é a única maneira em que eu acredito que meus pedais vão soar bem e ter uma boa durabilidade. Cresci numa época em que aparelhos de rádio e TV podiam ser consertados. Hoje eletrônicos são todos descartáveis. Todos os meus pedais são projetados para uma manutanção fácil, quando necessário. Substituir um pot ou switch leva questão de minutos, o que é valioso para um técnico de guitarra quando um artista acidentalmente destrói seu pot.

Eu não tenho nenhuma intenção de ser uma MXR ou mesmo uma JHS ou Wampler. Eu observo cada solda feita. Cada pedal cosntruído tem o controle de qualidade feito durante todo o processo por mim mesmo. É a única maneira que eu me sinto à vontade de entregar um pedal para seu novo dono. Eu sei que fiz tudo o que poderia para que os guitarristas tenham o melhor aproveitamento do seu dinheiro. Eu tercerizei alguns serviços no passado. Alguns muito bons e alguns muito ruins… Eu não queria lidar com os ruins novamente, então resolvi trazer todo o processo de volta para mim. Dá um trabalhão mas valeu muito a pena.

Pedais & Efeitos: O Brasil é um mercado emergente que tem crescido bastante e seus pedais ainda não estão disponíveis no nosso país. Você vende diretamente para cá ou tem algum plano para ter os pedais sendo vendidos aqui?

Dereck: Eu adoraria estar no Brasil, mas importar meus pedais dos EUA pode ficar bem caro. Se algum lojista se interessar, eu adoraria ter meus pedais disponíveis por aí. Eu não faço negócios com distribuidores, apenas com lojistas. Ao cortar um intermediário, o lojista pode ter mais lucro.

Meus atuais revendedores nos EUA enviam pedais para todo o mundo, então as pessoas podem contactá-los para adquirir meus pedais. Eu também vendo diretamente, para quem quiser comprar os pedais comigo.

IMG_4431

Pedais & Efeitos: E quais os seus próximos projetos com a Tonefreak? Pode nos antecipar alguma notícia exclusiva?

Dereck: Eu tenho alguns grandes amigos que tocam guitarra profissionalmente. Todos eles tem me pedido alguns pedais de Fuzz, então eu prometi que, após o Azalea OD e o lançamento do Pineapple Boost, eu desenvolverei dois ou três fuzzes. Esse ano vai ser o ano do Fuzz para a Tonefreak!

Pedais & Efeitos: Eu preciso te dizer que eu acho o Severe um pedal incrível! Está na minha lista de compra…

Dereck: O Severe é um pedal muito versátil. Eu estava pensando no Foo Fighters, Porcupine Tree e Alice in Chains quando o desenvolvi. Pesado mas articulado. Você não precisa somar outro OD. O Severe tem ganho suficiente para solos.

Pedais & Efeitos: Dereck, muito obrigado pela entrevista! Gostaria de deixar algum recado para os nossos leitores?

Dereck: Leo, eu só queria te agradecer por essa oportunidade de compartilhar a história da Tone Freak com seus leitores. Eu não estou por aí para empurrar os limites de design de circuitos. Eu só construo pedais para, eu espero, inspirar guitarristas para criar e tocar sua música.

 

 

Também em Inglês!

 

Pedais & Efeitos: Dereck how did your interest in effects pedals?

Dereck: I started playing the guitar when I was 13. After a couple of years, I got my first electric guitar and amp. It was a solid state amp and the drive on that thing was terrible. So I started looking into pedals… the old MXR Distortion II and Distortion + were my first pedals. I then got an Ibanez chorus and the Boss DD-3 delay. When I was going to college, I actually sold of all my pedals and ran a big rack. I had the original Bogner Fish Pream with a Roctron/Bob Bradshaw switching system than controlled a Roland SDE3000, Yamaha SPX90II, Lexicon LXP15 and an Alesis Quadraverb. VHT 2150 powered two Mesa Boogie 1×12’s. It was setup stereo… really cool sound.

Over the years, I ditched the rack and went back to pedals and a pedal board.

Pedais & Efeitos: And in that moment you decided to make it a business and found the Tonefreak?

Dereck: When I returned to pedal boards, I started getting into Alf Hermida, Paul Cochrane, and Sean Michaels’ hand made boutique pedals. All very nice pedals, but I was listening for something else. I remember taking them apart thinking I know I can build these. I learned all about these during an Engineering class in college about circuit design. I bought an overdrive kit from Build You Own Clone, asked a bunch of questions, read stuff by R.G. Keen, Jack Orman, and host of others. I started formulating the kind of tone I wanted. I did this with many other kits. My friends who play out a lot wanted me to build pedals for them, so I did. More people heard about what I was doing and the emails AbunaiXstarted to quickly come in.

It was about that time that I decided to standardize the designs, so that I can build them faster. I then registered Tone Freak LLC as an official company back in 2007, even though I started making pedals before that. It all evolved. It wasn’t the situation where one day I woke up and said, “I’m going to start building pedals as a business”.

The one person who really took Tone Freak to the next level was Dave Friedman. He like my stuff and we developed a couple pedals together. Dave started recommending my pedals to his clients and Tone Freak really took off. Dave not only builds the best amps in the world, but he has a golden ear for tone.

Pedais & Efeitos: What was the first pedal developed and sold under the brand Tonefreak?

Dereck: The first pedal I developed was the Abunai, which means “dangerous” in Japanese. But that pedal was really named after my dog, who was an Akita… a really big breed. He used to sit at my feet while I was building. When he passed, I instantly knew what to call the first Tone Freak pedal.

Pedais & Efeitos: For those who do not know their pedals, you could talk about each of them, with their sonic characteristics?

Dereck: My website has all the info on my pedals as well as videos and clips. Anyone wanting to know more about my pedals and me can go to www.tonefreak.com to find out.

Pedais & Efeitos: How does the process of development you? How long does the start of the process until the release of a new pedal?

Dereck: The process varies. The Naked OD was fast… it’s a pretty small circuit, so making the PCB was quick. Then you have something like the Azalea Drive which has a higher part count and that takes longer to design the PCB. Most of my pedals use the same drilling template, so I save time by not having to design a drilling template for every pedal. I also have people that I contract to help with PCB design and graphics. My current graphic artist is Mike Tabata, who, believe it or not, is no relation of mine. I can do that stuff myself, but with UV printing, I wanted to take full advantage of using multiple colors in the graphics, and Mike does an excellent job. You will see his work on the Valencia, Pineapple Boost and the Azalea.

Pedais & Efeitos: What is your best selling pedal and which is your favorite?

Dereck: The Abunai 2 is my best selling of all time. Lately, I’ve been getting a number of order for the Naked OD, no doubt because of Dave Friedman. The Naked OD works great with all the Friedman Amps. I don’t really have a favorite… they all do something different. When I’m in an Alice In Chains lagomkepsmood, I use the Severe. When I need something light, I use the Valencia. They are all interchangeable with various types of music, but I have mentally categorized them.

Pedais & Efeitos: In your opinion, what is the main competitive advantage of Tonefreak today?

Dereck: I really don’t have a competitive advantage. I build everything by hand. All my pots are wired and not mounted to the PCB. It takes a much longer time to make one of my pedals. But it’s the only way I know that these pedals will sound good and last. I remember growing up that radios and televisions could be fixed. Now electronics are all disposable. All my pedals are designed for easy repair if necessary. Replacing a pot or a switch takes a matter of minutes, which is valuable for a guitar tech when their artists pedal accidentally has the pot destroyed.

I had no intentions of being an MXR or even JHS and Wampler. I eye every solder joint myself… every build is quality controlled during the entire build process by me. It’s the only way I can feel good about having a pedal leave to join it’s new owner. I know I’ve done everything I could to ensure guitarists get their money’s worth. I’ve used contractors in the past… some really good and some really bad. I didn’t want to deal with the bad ones any more, so I brought everything back to me. It’s a lot of work, but it’s worth it.

Pedais & Efeitos: Brazil is an emerging market and grows increasingly. Your pedals still not arrived in Brazil. You sell directly here or have any plans for your pedals are here?

Dereck: I would love to be in Brazil, but importing my pedals from the US can get expensive. If a dealer from Brazil approached me, I would be glad to make my pedals available there. I don’t do business with distributors, just directly with dealers. By cutting out the middle person, the dealer can make more profit.

My current dealers in the US ship internationally, so you can contact any of them about getting my pedals. I also sell direct for anyone who want to get the pedal from me.

Pedais & Efeitos: And what are your future projects with the Tonefreak? Can you anticipate something, some exclusive news?

Dereck: I have some great friends who play guitar professionally. They all have been on me to get some more fuzz pedals out, so I promised that after the Azalea OD and Pineapple Boost launch, I will develope 2 or 3 fuzzes this year. This is the year of the fuzz for Tone Freak!

IMG-20120203-00524

Pedais & Efeitos: I must tell you that I think the pedal Severe amazing! It’s on my wishlist …

Dereck: The Severe is a very versatile pedal. I was thinking the Foo Fighters, Porcupine Tree and Alice In Chains when I developed that one. Heavy, but articulate. No need to stack that pedals with another OD… the Severe has enough gain for solos.

Pedais & Efeitos: Dereck, thank you for the interview! Want to leave any message for our readers?

Dereck: Leo, I just want to thank you for this chance to share the Tone Freak story with your readers. I’m not out to push the boundaries of circuit design… I just build pedals that, hopefully, inspire guitarists to create and play.