Entrevista: Catalinbread

Published on maio 8th, 2017

Pedais & Efeitos: Scott, muito obrigado por nos conceder essa entrevista. Eu gostaria de começar falando sobre como fiquei chocado e lamentei bastante o acidente e a morte do Nicholas. Deve ter sido um momento super difícil para vocês, certo? Como esse fato impactou a organização da empresa? E como você entrou na Catalinbread?

Scott: Eu tinha trabalhado para a Seymour Duncan em Santa Bárbara na Califórnia por 15 anos. Eu sempre quis morar em Portland e Duncan me deixou montar um escritório remoto e trabalhar de lá. Eu fiz isso em 2013, e durante esse ano, conheci o Nicholas Harris (Proprietário/Fundador da Catalinbread), e Howard Gee (Co-Proprietário e chefe de P & D). A identificação foi imediata e eu me senti muito atraído pela paixão e integridade de seu processo criativo. Eu nunca tinha visto nada assim, e imediatamente saba que queria fazer parte disso. Nicholas estava, com uma ótima intenção, rodeado de uma forte equipe de pessoas. É por isso que, embora Nicholas já não esteja mais conosco, todos na Catalinbread sintam-se entusiasmados com o futuro da empresa. 

 

Pedais & Efeitos: Qual foi o primeiro pedal produzido e comercializado já sob a marca Catalinbread?

Scott: O primeiro pedal da Catalinbread foi um boost chamado Super Chili Picoso.

Pedais & Efeitos: Quantas pessoas trabalham na empresa hoje?

Scott: Atualmente temos 18 pessoas incrivelmente criativas e loucas trabalhando na Catalinbread.

Pedais & Efeitos: Qual é o pedal mais vendido da marca? E qual o seu favorito?

Scott: Nós temos três pedais que disputam pescoço a pescoço o tipo do pódio: Belle Epoch, Echorec e o Dirty Little Secret. Pessoalmente eu sou um cara de delays, então meu favorito é o Belle Epoch. E não podemos esperar para as pessoas ouvirem o novo Belle Epoch Deluxe!

Pedais & Efeitos: Como funciona o processo de desenvolvimento de produtos na Catalinbread? Quanto tempo leva do início do processo até o produto estar disponível para o público?

Scott: Nós só projetamos pedais que nos inspiram musicalmente. Sim, queremos que os nossos produtos sejam vendidos, mas isso nunca é onde começamos o processo. Nosso processo quase sempre começa com a frase: “Você sabe o que seria fodidamente legal?””

Tem que haver uma história atraente para cada pedal que fazemos. Tem que haver uma razão para que o pedal exista, além de gerar receita. Por essa razão, você NUNCA verá uma versão do Catalinbread de um Tube Screamer, ou um clone do Klon, etc. Temos muitos concorrentes sem imaginação que poluem a indústria com isso já!

Pedais & Efeitos: Ainda sobre produtos, vocês trabalham de olho na demanda do mercado ou lançam o que desenvolvem com a qualidade já consolidada que vocês possuem independente do que o mercado esteja assimilando?

Scott: Catalinbread é um empreendimento criativo, artístico, e nunca será uma empresa impulsionada pelo mercado. Sim, mantemos os olhos no mercado de instrumentos musicais como um todo, mas não deixamos que isso nos leve. Depois de fazer isso, você se torna exatamente como aquela estação de rádio de rock clássico cansada, que toca as mesmas músicas …… ao mesmo tempo …… .. todos os dias.

Pedais & Efeitos: Na sua opinião, qual a principal vantagem competitiva da Catalinbread hoje?

Scott: Intenção. Tudo o que fazemos tem um propósito musical intencional, e uma narrativa original. Fazemos escolhas com grande intenção aqui, e seguimos nosso objetivo onde quer que nos leve – independentemente do que todos os outros no mercado estão fazendo. O que eu quero dizer é que nós sempre faremos o que queremos, da maneira que queremos – enquanto grande parte da indústria de pedais está plagiando um ao outro em nome de fazer um dinheirinho rápido, vamos continuar a marchar ao ritmo do nosso próprio tambor . Isso nunca vai mudar.

 

Pedais & Efeitos: O Brasil é um mercado emergente que tem crescido bastante e seus pedais ainda não estão disponíveis no nosso país. Mesmo assim vocês possuem uma grande quantidade de fãs por aqui. Você vende diretamente para cá ou tem algum plano para ter os pedais sendo vendidos aqui?

Scott: Recentemente, trouxemos a Neworld Music como nosso distribuidor para toda a América do Sul e estamos trabalhando arduamente para aumentar continuamente nossa base de revendedores em seu continente. Pode levar um pouco mais de tempo para colocar tudo no lugar, mas você deve começar a ver pedais Catalinbread mais e mais no Brasil durante o próximo ano ou próximo disso. Estamos muito entusiasmados com isso! Qualquer loja de música brasileira interessada em se tornar um revendedor da Catalinbread deve entrar em contato com Gervasio Goris gervasio@neworldmusic.org

Caso contrário, podemos enviar diretamente para o Brasil, embora os impostos possam ser muito complicados aí, por isso recomendamos o envio para um endereço nos EUA.

Pedais & Efeitos: E quais os próximos projetos da Catalinbread? Pode nos antecipar alguma notícia exclusiva?

Scott: O Belle Epoch Deluxe começará a ser lançado em Junho, e estamos muito animados com esse pedal. É facilmente o nosso melhor trabalho. Para o próximo ano, procure um Echorec Deluxe. Não posso dizer-lhe muito sobre isso agora, mas apenas saiba que teremos mais esse.

 

E também em Inglês!

 

Pedais & Efeitos: Scott, thank you very much for giving us this interview. I’d like to start by talking about how shocked I was and I was very sorry about Nicholas’s accident and death. It must have been a very difficult time for you, right? How did this impact the organization of the company? And how did you get into Catalinbread?
Scott: I had been working for Seymour Duncan in Santa Barbara, California for over 15 years. I had always wanted to live in Portland, and Duncan agreed to let me set up a remote office and work from there. I did that in 2013, and during that year, I met Nicholas Harris (the owner/founder of Catalinbread), and Howard Gee (Co-owner and head of R&D). We hit it off, and I was really drawn to the passion and integrity of their creative process. I had never seen anything like it, and immediately knew that I wanted to be a part of it. Nicholas had, with great intention, surrounded himself with a strong team of people. It is for that reason, that even though Nicholas is no longer with us, everyone at Catalinbread feels excited for the future of the company.

Pedais & Efeitos: What was the first model sold under the brand?

Scott: The first Catalinbread model was a boost pedal called the Super Chili Picoso.

Pedais & Efeitos: How many people work in the company today?

Scott: We currently have 18 amazingly creative, and crazy people working at Catalinbread.

Pedais & Efeitos: What is your best selling pedal? And what’s your favorite?

Scott: We have three pedals that always tend to run neck & neck for the top slot: the Belle Epoch, the Echorec, and the Dirty Little Secret. Personally, I’m a delay guy, so my favorite is the Belle Epoch…….and we can’t WAIT for people to hear the new Belle Epoch Deluxe!

Pedais & Efeitos: How does the process of developing products in the Company? How long it takes from the beginning of the process until the product is available to the public?

Scott: We follow the muse. We only design pedals that inspire us musically. Period. Yes, we want our products to sell, but that is never where we start the process. Our process almost always begins with the phrase: “You know what would be fucking cool?
There has to be a compelling story for each pedal we make. There has to be a reason for that pedal to exist aside from generating revenue. For that reason, you will NEVER see a Catalinbread version of a Tube Screamer, or a Klon clone, etc. We have plenty of unimaginative competitors polluting the industry with that already!

Pedais & Efeitos: Still about products, do you work with an eye on the market demand or launch what you develop with the already consolidated quality that you have regardless of what the market is assimilating?

Scott: Catalinbread is a creative, artistic endeavor, and will never be a market driven enterprise. Yes, we keep our eyes on the musical instrument market as a whole, but we do not let it drive us. Once you do that, you become just like that tired classic rock radio station that plays the same songs……at the same time……..every day.

Pedais & Efeitos: In your opinion, what is the main competitive advantage of the company today?

Scott: Intention. Everything we do has intentional musical purpose, and an original narrative. We make choices with great intention here, and follow our muse wherever it takes us—regardless of what everyone else in the market is doing. What I mean is that we will always do what we want, the way we want—while much of the pedal industry is off plagiarizing one another in the name of making a quick buck, we will continue to march to the beat of our own drum. That will never change.

Pedais & Efeitos: Brazil is an emerging market that has grown a lot and its pedals are not yet available in our country. Even so you have a lot of fans around here. Do you sell directly here or do you have any plans to have the pedals being sold here?

Scott: We have recently brought on Neworld Music as our distributor for all of South America, and are working hard to steadily grow our dealer base on your continent. It may take a little more time to put everything in place, but you should start to see Catalinbread pedals more and more in Brazil over the next year or so. We are very excited about that! Any Brazilian music store interested in becoming a Catalinbread dealer should contact Gervasio Goris gervasio@neworldmusic.org

Otherwise, we can ship directly to Brazil, although customs can be very tricky there, so we recommend shipping to an address in the USA.

Pedais & Efeitos: And what are the next projects of the Company? You can anticipate some exclusive news?

Scott: The Belle Epoch Deluxe will begin shipping in June, and we are very excited about that pedal. It is easily our best work. For next year, look for a the Echorec Deluxe. I can’t tell you too much about it now—but just know that it is another