Review: Ghetto Stomp Greer Amps

Published on maio 21st, 2017

Acabamento/Construção/Embalagem

Já fizemos alguns reviews de pedais da Greer Amps aqui no site e o Ghetto Stomp é o primeiro modelo que analisamos com um tipo de acabamento diferente. O pedal é todo pintado num bonito vermelho e a arte, cores e fontes das inscrições são bem legais. A escolha dos knobs também foi muito feliz, já que trazem uma aparência toda especial ao pedal. Além disso, também é um pouco menor que os outros pedais da marca.

Toda a montagem do circuito é feita à mão. Componentes bem fixados e escolhidos, jacks e knobs muito bem colocados. Um detalhe diferente dos outros modelos do fabricante é que o jack de alimentação fica bem próximo ao jack de entrada do sinal. Isso torna as coisas um pouco mais “apertadas”. O que não me agradou(nem me agrada em nenhum pedal) é o “goop” utilizado para esconder o circuito. E isso é uma prática comum nos pedais da Greer. Eu entendo a preocupação do fabricante em proteger a sua propriedade intelectual em uma época em que se copia de tudo, mas ainda não acho que seja um artifício bacana. O pedal pode ser alimentado por fonte padrão (9v) ou bateria.

A embalagem é simples, com um carimbo para identificar o fabricante e o nome do modelo escrito à mão. Junto com o pedal vem palheta e adesivos para agradar aos guitarristas que gostam desses mimos.

Um detalhe interessante é que o fabricante oferece uma garantia por toda vida ao comprador original. Bacana!

Timbres

O Ghetto Stomp foi inspirado nas sonoridades dos antigos amplificadores Valco e Tweed. Eram amplificadores de baixa potência que distorciam muito cedo, oferecendo uma belíssima riqueza harmônica. Dá pra perceber que a missão do pedal não é fácil, certo?

Aqui em terra brasilis é mais díficil tecermos esse tipo de comparação, já que o acesso a tais tipos de amplificadores é muito mais complicado. Mas o que eu posso garantir é que o Ghetto Stomp soa muito bem! Ele ofereceu uma riqueza harmônica muito interessante a todas as guitarras utilizadas no teste. A dinâmica proporcionada pelo pedal é muito interessante e quando combinada com o controle de volume da guitarra, proporciona ótimos resultados.

O Ghetto Stomp oferece um timbre gordo, recheado de agudos e com um corpo bem definido. A idéia é passar a sensação de um pequeno amp saturando e guardadas as devidas proporções, cumpre muito bem essa função. O controle de Tone tem uma função bem interessante, que funciona também como um tipo de pré. Quanto mais aberto o controle, mais volume e ganho na sonoridade. Isso pode ser uma armadilha, especialmente quando utilizando Single Coils, já que o timbre pode ficar muito aberto. Quando utilizado nas suas configurações máximas, o Ghetto Stomp dá uma “fuzzeada”que não pode agradar todo mundo, já que se trata de um pedal de Overdrive. Ele também trabalhou muito bem com outros pedais, tanto na fincão de booster como sendo empurrado por um.

O Ghetto Stomp é um pedal simples, mas de muita personalidade. Oferece uma sonoridade bem característica que pode funcionar em várias vertentes de rock e blues. Funcionou com diferentes e guitarras, mas recomendaria sua utilização apenas em amplificadores valvulados, onde ofereceu um desempenho muito superior. Ótima ferramenta para se ter no Pedalboard!

Facilidade de Usar/Achar bons timbres

Um overdrive de três controles normalmente é super simples de se usar e o Ghetto Stomp não foge a regra. Só recomendo uma atenção especial ao controle de tone e a sua utilização especialmente com diferentes tipos de captadores. Vale a pena investir um tempo pesquisando as possibilidades.

Regulagem Favorita

Vol: 12:00h

Tone: 12:00h

Gain: 11:00h