Review: Hot Saké TWA

Ponboy v.3
julho 26, 2018
Resound
julho 30, 2018

Review: Hot Saké TWA

Acabamento/Construção/Embalagem

A TWA já é uma marca bem estabelecida no mercado apesar de não tão conhecida. O acabamento do pedal é muito bem executado, num bonito preto sparkle, mas que eu mesmo tempo também é meio fosco. Na parte do superior fica um adesivo muito bem colado com a arte do pedal, que é feia de doer. Também não gostei da escolha dos knobs maiores no pedal, que passam uma aparência de fragilidade. Não que o sejam, mas passam essa sensação.

A construção do pedal tem um ótimo padrão, com uma placa muito bem construída e montada e utilizando ótimos componentes. Os jacks de entrada e saída de áudio ficam nas laterais do pedal, assim como a entrada para a fonte de alimentação, o que particularmente não me agrada, já que pode atrapalhar caso você utilize plugues em “L”. O pedal pode ser alimentado por fonte (9V, padrão Boss) ou bateria. Outro detalhe é o dificílimo acesso à chave de frequência do booster de graves. Fica em um buraco na frente do pedal, onde só vai ser possível alterá-la com um objeto fino. Não podia colocar essa chave do lado de fora?

A embalagem é naquele padrão caixa branca de papelão com adesivos indicando o fabricante e o modelo. Dentro acompanham um manual do pedal e um catálogo do fabricante. Tudo bem simples.

Timbres

O Hot Saké é um pedal de distorção que foi baseado/inspirado em antigas unidades japoneseas e foi misturado com componentes mais modernos.  O bacana é que um pedal com características únicas e um timbre diferenciado.

Como eu falei anteriormente, se trata de um pedal de distorção, mas que também pode ser utilizado como overdrive, graças a ótima interação e dinâmica que ele oferece quando você utiliza o controle de volume da sua guitarra. Ao recuar o controle de volume do seu instrumento, o Hot Saké vai se comportar como um pedal de overdrive natural, oferecendo timbres quentes e dinâmicos. E olhe que esse pedal tem BASTANTE ganho. A maneira como ele limpa é bem interessante. Foi bem interessante utilizá-com com uma Les Paul e reduzir o volume em um dos captadores e deixar o outro todo aberto. Foi como ter dois pedais aos meus pés.

O pedal também oferece controles bem interessantes. A chave LB (localizada no centro do pedal. LB = Low Boost) oferece uma quantidade considerável de graves, ótimo para quem procura timbres mais modernos. Além disso o Hot Saké possui dois controles de tonalidade: Tone e Mids. Eles funcionam de maneira “tradicional”, aumentando e cortando frequências e interagem enormemente entre si. Então é preciso atenção na hora de equalizar pois certamente o ajuste de um interferirá no outro. Os agudos do Hot Saké são bem afiados então é preciso atenção na hora de utilizá-lo em guitarras equipadas com captadores que já possuem essa característica. O modelo ainda oferece um outro recurso, que é uma pequena chave montada internamente em que você pode alterar a frequência do booster de graves entre 100hz e 60hz.

Se você gosta de pedais com bastante ganho e busca uma alternativa que lhe oferece agudos cortantes e graves super saturados, o Hot Saké pode ser uma ótima pedida. E ainda com o plus de limpar muitíssimo bem com o controle de volume da guitarra oferecendo ótimos timbres de overdrive. E lembre-se: Quem vê cara não vê coração…

 

Facilidade de Usar/Achar bons timbres

Como tem uma sonoridade diferente, vai ser preciso um tempo entendendo como os controles de equalização interagem entre si e formam o timbre do pedal. E isso vai ser ainda mais decisivo se você utilizar guitarras diferentes com ele. Não se trata de um dos pedais mais fáceis de se usar mas o tempo investido certamente trará ótimos resultados sonoros.

Regulagem Favorita

Vol: 11:00h

Drive: 09:00h

Tone: 11:00h

Mids: 12:00h

LB: On

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *