Entrevista: KMA Machines

ACS1
fevereiro 2, 2021
Invader
fevereiro 4, 2021

Entrevista: KMA Machines

Com cuidados tanto na parte sonora como na parte visual, os pedais da KMA Machines vem se destacando mundo a fora por sua personalidade. É impossível dar uma olhada de perto em qualquer um dos pedais da KMA e não ficar impressionado com os cuidados e a beleza do pedal. E se ligar então, a paixão está completa! Para conhecer e entender um pouco mais sobre o fabricante, fomos conversar com o fundador da empresa, Enrico Preuss que nos contou sobre os conceitos por trás da sua marca!

Confira!

 

 

Pedais & Efeitos: Enrico, muito obrigado por nos conceder essa entrevista! Poderia começar nos contando como surgiu o seu interesse em pedais de efeito?

Enrico: Bem, é um tipo de história genérica que nunca me canso de contar. Eu entrei para uma nova banda chamada Amplified Backdoor Creatures e o ex-guitarrista tinha um som realmente distinto que foi a base de toda a vibração da banda. Ele estava tocando um Ampeg VT-40 4×10 60W e usando um pedal Skreddy – Screwdriver. Ele me emprestou o pedal, mas não o amplificador, então tive que reproduzir o som de alguma forma. Depois de um tempo, ele tinha um novo projeto e precisava do Screwdriver Skreddy. Nesse ínterim, comecei a procurar mais equipamentos, pois estava tendo um motivo especial para gastar dinheiro com eles. Eu descobri que os pedais eram muito caros e fora do alcance do meu orçamento, então comecei a pesquisar sobre DIY-Kits e encontrei alguns na Musikding. Então, encomendei um kit estilo Fuzz Face de siliício. Demorou muito para chegar e superar o tempo de espera, verifiquei alguns layouts de tagboard e encontrei uma página com um layout para o Screwdriver da Skreddy. ESSE foi o ponto de partida para eu construir meu primeiro pedal e meu crescente interesse por pedais.

Pedais & Efeitos: E como surgiu a idéia da KMA Machines?

Enrico: Enquanto eu estudava engenharia mecânica e, como disse antes, descobri que construir um pedal não era tão complicado, comecei a construir coisas cada vez mais complexas como phaser e tremolos e assim por diante. Eu estava tão envolvido com todo o buraco de minhoca eletrônico, lendo circuitos, simulando diferentes estágios de ganho ou tone stacks, que construí mais e mais. Pareciam enfadonhos, então tentei pintá-los, criando gráficos para eles, mas fui muito ruim nisso, então um amigo meu se ofereceu para fazer um design. Ele é um artista gráfico altamente qualificado e até mesmo seu rascunho para o fuzz que havia construdo recentemente naquela época me surpreendeu.

A essa altura já fazia alguns pedais customizados para amigos e amigos de amigos com trabalhos bem simples. Mas meu amigo estava dizendo: “Ei, por que não criamos uma página e fazemos alguns outros projetos e tudo mais“. E eu disse, claro, por que não. Ele começou a projetar todo o conceito de marca e design corporativo para KMA e foi matador. Decidimos então lançar o site e fazer todos os registros obrigatórios para um negócio jurídico e foi assim que nasceu a KMA Audio Machines em dezembro de 2014.

Pedais & Efeitos: Qual foi o primeiro pedal fabricado pela KMA?

Enrico: Foi o Fuzzly Bear – um Fuzz de silicone baseado no Jordan Bosstone com uma resposta de graves mais ampla e um controle de polarização para diferentes sabores, de sons fortes a desagradáveis de velcro.

Pedais & Efeitos: Como funciona o seu processo de desenvolvimento de novos produtos? Quanto tempo leva do início do processo até o produto estar disponível para o público?

Enrico: Bem, cada novo pedal começa com um único pensamento e pode ser acionado por diferentes coisas. Pode ser um som que ouvi em uma música, pode ser uma necessidade pessoal que não pode ser atendida por um pedal de verdade no mercado. Pode ser um pedal interessante fora de produção ou um projeto desafiador que quero ter sucesso. Como você vê, coisas diferentes podem me levar a experimentar coisas novas.

Assim que eu começo com um novo projeto, basicamente começo em uma placa de ensaio para o material analógico. Após 5 anos construindo e desenhando pedais estou tendo uma biblioteca de módulos para combinar e também bastante experiência para fazer o design principal no pc e com simulações. Depois de projetar o primeiro proto-pcb, irei basicamente mexer nos valores do componente para fazer o ajuste fino de tudo. É principalmente um ciclo de 2-5 iterações até que eu tenha o primeiro pedal de demonstração pronto. Mas isso é apenas o design do hardware e do circuito.

Ele é seguido pela ilustração e pela arte do pedal. Muitas vezes, o brainstorming sobre a aparência externa, incluindo ilustração, posicionamento de controle, LEDs, etc. e o design do hardware, caminham lado a lado e acontecem ao mesmo tempo.

Isso nos ajuda a projetar um produto que é mais do que apenas um produto ou ferramenta, em vez de um personagem ou algo que fala com você e conta uma história.

Nosso principal objetivo é estimular a criatividade dos músicos usando nossos pedais e explorando novos estilos de tocar ou gêneros que eles nunca esperariam experimentar.

Quando se trata do lançamento, muitas coisas aconteceram muito antes, como enviar unidades de demonstração para certas pessoas de demonstração do YT para que você possa ouvir o pedal e saber como ele soa assim que o pedal for lançado. Normalmente, pré-construímos as unidades e as enviamos aos revendedores para estocá-las e tê-las prontas para venda na data de lançamento.

Todo o processo pode demorar mais de um ano ou apenas 3 meses, depende fortemente do circuito e da nossa carga de trabalho de produção.

Pedais & Efeitos: Quantas pessoas trabalham na KMA hoje?

Enrico: Somos três pessoas trabalhando na KMA – eu em tempo integral e os outros em meio período

Pedais & Efeitos: Qual é o seu pedal mais vendido e qual é o seu favorito?

Enrico: Os mais vendidos tem sido o Wurm e o Tyler até lançarmos o Logan e o Cirrus. O Cirrus assumiu nos últimos dois meses e estamos perto da unidade 1000.

Meu favorito? Difícil de dizer. É como perguntar: “Qual é o seu filho favorito“? . Eu realmente amo nosso Moai Maea porque ele torna tudo tão grande e impressionante. Eu também gosto de tocar com o Logan e o Cirrus. O Logan é minha abordagem pessoal para o timbre de drive perfeito. Dinâmico, aberto, não muito comprimido e penetrante e articulado o suficiente e também muito flexível para moldar o timbre! O Cirrus é pura diversão e um playground para horas de design de paisagens sonoras.

Pedais & Efeitos: Ano passado a KMA Machines participou das duas edições do Pedais & Efeitos Experience e foi unânime entre os músicos a opinião sobre o visual matador dos pedais (Além dos ótimos sons). O quão importante é para a empresa essa preocupação na forma como os pedais serão apresentados?

Enrico: Bem, na minha opinião, é muito importante que as pessoas possam ouvir os pedais e experimentá-los por conta própria. Cada músico tem seu próprio estilo e você tem que tocar com os pedais na vida real e também ver e sentir o pedal. Como os botões se comportam quando você os gira, se dão uma sensação boa, se os pedais são resistentes e assim por diante. Isso é importante porque toda a experiência de uma ferramenta importa no final para conectar o músico  ao som e a execução.

Pedais & Efeitos: Na sua opinião, qual o principal diferencial da KMA hoje?

Enrico: Bem, é difícil dizer. Eu diria que nossa abordagem de dar a um produto / ferramenta uma alma e um personagem, contando uma história para estimular a criatividade dos músicos e se sentir conectado a como o pedal se comporta e soa. Eu também sou muito exigente quando se trata de qualidade e confiabilidade. Eles têm que ser robustos, mas bonitos. E eu acho que todo pedal deve ser flexível, nunca fui amigo de pedais com um único truque. Quer dizer, eles estão tendo seu propósito, com certeza, mas como um ex-músico que tocava ao vivo sei o quão importante pode ser e ajustar seu pedal dependendo do local em que você está tocando.

Pedais & Efeitos: Os seus últimos lançamentos foram o Logan e o Cirrus. Como foi a aceitação do mercado em relação a eles?

Enrico: Bem – foi uma loucura. A demanda pela Cirrus ainda é alta e ainda estamos atrasados com pedidos atrasados pelo que estamos realmente gratos. O Logan também foi um grande sucesso, levando em consideração quantos overdrives existem.

Pedais & Efeitos: O Brasil é um mercado emergente que tem crescido bastante. Você vende diretamente para cá ou tem algum plano para ter os pedais sendo vendidos aqui?

Enrico: Vendemos e enviamos diretamente para o mundo todo, mas também planejamos expandir mais na América do Sul. Esperançosamente, assim que a pandemia C19 acabar, é algo que possamos alcançar.

Pedais & Efeitos: E quais os próximos projetos da empresa? Pode nos antecipar alguma notícia exclusiva?

Enrico: Estamos com muitas coisas na mesa no momento, mas não posso falar sobre isso agora, caso contrário, a empolgação diminuirá 😉 .

Pedais & Efeitos: Enrico, muito obrigado pela atenção e por nos conceder essa entrevista! Você gostaria de deixar algum recado para os nossos leitores?

Enrico: Obrigado por me receber e me dar a oportunidade de compartilhar meus pensamentos com você.

Fique seguro e tenha cuidado – e aproveite cada dia da sua vida!

INGLÊS

 

Pedais & Efeitos: Enrico, thank you so much for giving us this interview! Could you start by telling us about your interest in effect pedals?

Enrico: Well it’s kinda a generic story which I am never getting tired of telling. I joined a new band called Amplified Backdoor Creatures and the former guitarist had a really distinctive sound which was the foundation of the whole band’s vibe. He was playing a Ampeg VT-40 4×10 60W and using a Skreddy Pedals – Screwdriver. He lend me the pedal but not the amp, so I had to replicate the sound somehow. After a while he had a new project a needed the Skreddy Screwdriver. In the meantime I started to search for more gear, since I am having a particular reason for spending money on it. I figured out that pedals have been quite expensive and out of reach for my budget, so I started to buy search about DIY-Kits and found some at Musikding. So I ordered a silicon Fuzz Face style Kit. It took ages to arrive and to overcome the waiting time I checked some tagboard-layouts and found a page with a layout for the Skreddy Screwdriver. THAT was the starting point to me building my first pedal and my growing interest in pedals.

Pedais & Efeitos: And how did the idea for KMA Machines come about?

Enrico: As I studied mechanical engineering and as I said earlier, found out that building a pedal wasn’t so tricky, I started to build more and more complex stuff like phaser and tremolos and so on. I was so into the whole electronical wormhole, reading circuits, simulating differente gain stages or tone stacks, that I built more and more. They looked boring, so I tried to paint them, creating graphics for them but I was pretty bad in it, so a friend of mine just offered me to make a design. He is such a high-skilled graphic artist and even his draft for the fuzz I recently build at this time blew me away.

At this point I already did some custom pedals for friends and friends of friends with quite simple artworks. But my friend was saying: „Hey why not setting up a homepage and doing some other designs and everything“. And I said, sure why not. He started to design the whole brand concept and corporate design for KMA and it was killer. We decided then to launch the website and doing all the mandatory registrations for a legal business and that was the birth of KMA Audio Machines in December 2014.

Pedais & Efeitos: What was the first pedal manufactured by KMA?

Enrico: That was the Fuzzly Bear – a Jordan Bosstone based silicon Fuzz with a wider bass response and a bias-control for different flavours from gritty to nasty velcro-like sounds.

Pedais & Efeitos: How does your new product development process work? How long does it take from the start of the process before the product is available to the public?

Enrico: Well, every new pedal starts with a single thought and can be triggered by different things. It can be a sound I heard in a song, it can be a personal need which can’t be served by an actual pedal on the market. It can be an interesting out of production pedal or a challenging project I wanna succeed. As you see different things can drive me to try new stuff.

 As soon as I start with a new project I basically start on a breadboard for the analog stuff. After 5yrs of building and designing pedals I am having a library of modules to combine and also enough experience to do the mayor design on the pc and with simulations. After designing the first proto-pcb I’ll mostly tinker around with the component’s values to finetune everything. It’s mostly a cycle of 2-5 iterations till I have the first demo pedal ready.  But that is just the hardware and circuit designing.

 It is followed by the illustration and the artwork of the pedal. Quite often the brainstorming about the outward appereance, including illustration, control  placement, LEDs etc. and the hardware design goes hand in hand and happens at the same time.

That helps us to design a product which is more than just a product or a tool rather then a character or something that speaks to you and tells you a story.

Our main aim is to push the musicians creativity by using our pedals and exploring new playing styles or genres they’d never expect to try out.

When it comes to the release, a lot of things happened way before like sending demo-units out to certain YT-demo people that you can hear the pedal and know how it sounds as soon as the pedal has been released. We usually pre-build units and send them out to dealers to stock them up and having them ready to sell at the release date.

The whole process can take over a year or only 3month, strongly depends on the circuit and our production workload.

Pedais & Efeitos: How many people work at KMA today?

Enrico: We are three people working at KMA – me in full-time and the others in part-time

Pedais & Efeitos: What is your best selling pedal and what is your favorite?

Enrico: The best seller has been Wurm and Tyler till we released Logan and Cirrus. Cirrus took over the last couple months and we are close to unit 1000.

 My favorite one? Hard to say. It’s like: „What’s your favorite child“. I really love our Moai Maea because it makes everything so massive and groundshaking. I also enjoy playing arond with Logan and Cirrus. Logan is my personal approach for the perfect drive tone. Dynamic, open, not too compressed and piunchy and articulate enough and also so damn flexible for tone shaping! Cirrus is just pure fun and a playground for hours of soundscape design.

Pedais & Efeitos: Last year KMA Machines participated in the two editions of the Pedais & Efeitos Experience and there was unanimous opinion among the musicians about the killer look of the pedals (in addition to the great sounds). How important is this concern to the company in the way the pedals will be presented?

Enrico:  Well, IMO it’s really important that people can listen to the pedals and try them on their own. Every player is having his own style and you have to play it in real and also see and feel the pedal. How do the knobs behave when you turn them, do they give you a good feeling, are thepedals sturdy and so on. That it important cause the whole experience of a tool matters in the very end to connect the player and the sound and the playing.

Pedais & Efeitos: In your opinion, what is the main difference of KMA today?

Enrico: Well, hard to say.  I’d say our approach of giving a product/tool a soul and a character by telling a story around to push the musicians creativity and feel connected to how the pedal behaves and sounds. I am also really picky when it comes to quality and reliability. They have to be sturdy but good looking. And I think every pedal should be flexible, I’ve been never a friend of one trick ponies. I mean they are having their purpose for sure but as a former live musician I know how important it can be and is to tweak your pedal depending on the venue you are playing at.

Pedais & Efeitos: His last releases were Logan and Cirrus (which unfortunately I don’t have yet …). How was the market acceptance of them?

Enrico: Well – it was crazy. The demand on Cirrus is still high and we are still behind with back orders for what we are really thankful. Also Logan was a great success, taking in account how many overdrives are out there.

Pedais & Efeitos: Brazil is an emerging market that has grown a lot. Do you sell directly here or do you have any plans to have the pedals sold here?

Enrico: We sell and ship worldwide directly but also planing to expand in south america more. Hopefully as soon as the C19 pandemic is over, it’s something we can achieve.

Pedais & Efeitos: And what are the company’s next projects? Can you anticipate any exclusive news?

Enrico: We are having a lot of things on the desk at the moment, but I can’t talk about for now otherwise the excitement will drop ;).

Pedais & Efeitos: Enrico, thank you very much for your attention and for giving us this interview! Would you like to leave a message for our readers?

Enrico: Thanks for having me and giving me the opportunity to share my thoughts with you.

 Stay safe and be careful – and enjoy every day of your life!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *