Review: Analog Delay AD-340 T.Miranda

El Malito
agosto 26, 2020
Edição Limitada do Naga Viper
agosto 31, 2020

Review: Analog Delay AD-340 T.Miranda

Acabamento/Construção/Embalagem

Os pedais da T.Miranda tem um visual bem simples e direto. O Analog Delay não foge a regra. A pintura é muito bem feita e a cor rosa destaca bem as inscrições no pedal. Não é das combinações mais usuais (nem das mais bonitas) mas é plenamente funcional. A escolha dos knobs “transparentes” casou bem com a proposta e o visual do pedal.

A construção é bem sólida, com uma placa bem montada e bons componentes. O pedal que nos foi enviado para teste foi um protótipo, então mudanças (para o sólido padrão do fabricante) devem ocorrer. Vale ressaltar que o Analog Delay se utiliza do famoso chip MN3205, que também equipa o clássico DM-2. Os jacks para entrada e saída de áudio ficam na “frente” do pedal e a entrada para fonte de alimentação fica do lado esquerdo da latinha. O pedal pode ser alimentado por fonte padrão (centro negativo) de 9v. Também me chamou a atenção o tamanho do pedal, que é bem compacto e vai ocupar pouco espaço nos pedalboards pelos palcos por aí.

A (ausência de uma) embalagem é certamente um ponto negativo quando pensamos sob o aspecto de “produto”. Obviamente quando falamos sobre pedais de guitarra o mais importante é o timbre do pedal e não há discussão sobre isso. Mas uma embalagem com uma identidade do fabricante, com um manual bem escrito, apenas aumentaria a percepção de cuidado sobre o produto pelo consumidor. Ainda mais se tratando de um bom produto. No caso da T.Miranda, o pedal é enviado numa caixa de papelão simples, sem qualquer personalização ou manual.

Timbres

Pedais de delay que não ofereçam mil possibilidades e recursos parecem estar fora de moda. Mas eles continuam tendo o seu valor, especialmente no caso de serem analógicos e esse é o caso desse Analog Delay. Os delays anaógicos foram (passou?) por muito tempo o santo graal dos guitarristas em busca de uma sonoridade “quente” e uma degradação das repetições totalmente características desse tipo de efeito/circuito. E são exatamente essas características que você vai encontrar nesse pedal da T. Miranda.

Apesar de poucos controles você vai poder usar o Analog Delay de maneiras diferentes e em contextos diversos. Ele vai funcionar muito bem para rockabilly num tempo de delay curtíssimo, num efeito tipo slapback, ou numa função mais rítmicas, “a lá Brian May”. A sonoridade “quente” está presente o tempo todo e acrescenta demais ao timbre. Você será capaz de dar uma encorpada no seu timbre apenas com a utilização do delay, de uma maneira mais discreta, com pouco feedback e com pouco volume, dando aquela sensação de profundidade bem legal.. Ao utilizar com drives o timbre ficou enorme e um pouco mais “escuro” por conta do delay. Com strato funcionou bem demais! Se você deixar o controle de delay numa configuração bem baixa, até uma sonoridade de chorus você vai encontrar.

Outro detalhe interessante é que o Analog Delay também pode trabalhar muito bem com outros pedais de delay no seu pedalboard. Você pode utilizá-lo nessa função de oferecer um timbre mais orgânico em quente em conjunto com um multi-delay que ofereça tap-tempo e outros recursos que sejam necessários. É preciso dter um pouco de cuidado com o controle Intensity (feedback) que começa a produzir uma auto-oscilação lá pela posição “13h”, o que particularmente eu achei muito cedo, o que não deixa de ser um pouco limitador se você explora esse tipo de recurso com mais frequência.

Não se deixe levar pela aparente falta de opções desse Analog Delay. Você vai se surpreeender com a quantidade de possibilidades e especialmente bons timbres que ele pode oferecer. Um delay com sonoridade bem característica que pode inspirar e provocar você a extrair mais de menos. Se você curte essas máquinas de repetições analógicas, esse pedal vai lhe agradar em cheio.

.Facilidade de Usar/Achar bons timbres

Apesar de apenas três controles, o Analog Delay tem seus desafios na hora de achar bons timbres. O principal vai ser internalizar que o nome dos controles não reproduzem exatamente o que eles fazem. Quando você gira o knob Repeat e ele altera o tempo do delay é de dar um bug no cérebro. O mesmo acontece com o controle Echo (Volume) e Intensity (feedback). Nada que não se acostume com o tempo, mas é preciso estar atento.

 

Regulagem Favorita

Repeat: 13:00h

Echo: 11:00h

Intensity: 10:00h

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *