Review: Bad Vibes Velouria FX

Croak
maio 15, 2020
Broverdrive
maio 18, 2020

Review: Bad Vibes Velouria FX

 

Acabamento/Construção/Embalagem

Esse é o primeiro pedal da Velouria FX que analisamos e a marca já tem uma identidade visual bem definida para os seus pedais. Eles tem por característica usar o preto, o branco e o cinza (na maioria dos casos) com artes bem diferentes, o que confere aos pedais um visual interessante e diferenciado. No caso do Bad Vibes, a arte se mistura um pouco com as inscrições no pedal, o que no início dificulta um pouco a leitura, mas depois que você se acostuma, nem lembra mais desse detalhe. É bem legal que a Velouria já tenha criado essa identidade a ponto das pessoas ao verem o pedal, já atrelarem ao fabricante.

A construção do pedal é bem competente. A placa é bem montada, com a utilização de bons componentes com uma fotocélula real, lâmpada incandescente e circuito analógico de modulação. Os jacks para entrada e saída de áudio ficam na “frente” do pedal, assim como a entrada para fonte de alimentação (9v, centro negativo, padrão Boss). Não existe a opção de alimentação por bateria. Existem três trimpots na placa que podem alterar a onda e a profundidade do efeito e vão alterar a intensidade com que a lâmpada vai brilhar.

A embalagem é o grande ponto fraco do produto. Eu sei que tem gente que não liga para a embalagem nem faz questão de algo diferenciado. Mas pensando em termos de produto, uma embalagem condizente com a qualidade agrega valor como um todo.Obviamente eu sei que isso representa um custo para o fabricante, mas que na minha visão, vale a pena. No caso da Velouria a caixa é uma comum, utilizada para envios com um carimbo na empresa e fechada com uma fita adesiva. Acompanham o pedal um adesivo e palheta.

Timbres

Existem bons pedais no mercado que se utilizam de CI’s para simular o clássico Univibe. Mas nada se compara a um vibe que se utilize de fotocélulas e lâmpada para recriar a sonoridade original e esse é o caso do Bad Vibes, que além de tentar trazer a sonoridade clássica, optou por colocar no pedal recursos interessantes de equalização, que tornaram o pedal ainda mais interessante. Lembrando que o Univibe original foi criado para ser um “simulador” de Leslie, mas que acabou criando uma característica própria e icônica.

Quem gosta de Univibes normalmente está a procura de sonoridades clássicas, como as imortalizadas por Henrix, Tower e Gilmour. E aqui você vai encontrar algumas delas com certeza. O Bad Vibes vai entregar aquele timbre gordo com uma profundidade e intensidade que parece que irão lhe engolir. Os controles de depth (profundidade) e speed (velocidade) são muito responsivos e oferecem uma ótima variedade de possibilidades. A grande sacada do pedal, pelo menos para mim, foi a adição dos dois controles de equalização, um para os graves e outro para os agudos. Isso ajuda muito o pedal a se adequar a diferentes setups, especialmente se você varia entre guitarras com singles e humbuckers. Numa Strato por exemplo, você pode reforçar os graves e tirar um pouco dos agudos no pedal, evitando que ele soe magro demais. Quando utilizei o pedla em apresentações ao vivo, foi preciso deixar o volume do pedal praticamente no máximo, para que ele conseguisse aparecer, já que ele entrega pouco volume de maneira geral.

Utilizei o Bad Vibes tanto sozinho como combinando com fuzzes e overdrives e os resultados sempre foram ótimos. Lembra dos controles de equalização? Aque eles serão muito úteis, já que se usar um fuzz super gordo e saturado e acionasse um pedal com essas características, haveria o risco de se embolar a coisa toda. Com esses controles a disposição, basta uma redução no controle de graves para evitar que isso aconteça, sem nenhuma perda de timbre por parte do pedal. Ainda existem dois trimpots internos que podem alterar a profundidade e a forma da onda do efeito, aumentando ainda mais as possibilidades de ajustes no timbre.

Se você curte a sonoridade de um bom Univibe, o Bad Vibes da Velouria Fx é uma ótima opção no mercado nacional. Só pelo fato de utilizar fotocélulas e lâmpadas já seria ótimo, por oferecer a profundidade característica do efeito, mas o fabricante foi além e acrescentou os controles de equalização que foram uma ótima sacada. O Bad Vibes foi um dos pedais mais bacanas que eu conheci em 2019 e certamente vai agradar quem gosta do efeito.

 

 

Facilidade de Usar/Achar bons timbres

O Bad Vibes é um pedal bem simples de se utilizar, especialmente para quem há conhece o efeito e sabe o que esperar dele. Os controles de equalização oferecem uma camada extra de “customização” para uma melhor utilização do pedal em diferentes situações

 

Regulagem Favorita

Volume: 16:00h

Speed: 12:00h

Depht: 14:00;

Highs: 12:00h

Lows: 14:00h

 

2 Comments

  1. Evandro disse:

    Não conheço muito de pedais de vibe, então gostaria de perguntar: faz realmente muita diferença que o circuito tenha uma lâmpada?
    O som é realmente muito melhor que o Psico Vibes da Fuhrmann, por exemplo?
    Obrigado!

    • Leonardo Jr disse:

      Evandro, a questão da lâmpada está relacionada a profundidade do efeito. Eu nunca vi/ouvi um Vibe baseado em CI’s que soasse como um construído com lâmpada. Mas se você curte o timbre do Psico Vibe e ele te atende, manda brasa! = )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *