Review: Black Fountain Old Blood Noise

Novo Genesis!
março 21, 2019
Element Reverb
março 25, 2019

Review: Black Fountain Old Blood Noise

 

Acabamento/Construção/Embalagem

Numa rápida olhada já dá para notar o cuidado que a Old Blood Noise tem com seus produtos. O acabamento do Black Fountain é impecável e tem tudo a ver com o produto e sua inspiração/sonoridade. A pintura creme com os detalhes em preto resultou num visual matador e original para o pedal. A escolha dos knobs também foi muito feliz, já que eles combinam perfeitamente. A pintura é muito bem executada e todas as inscrições do pedal são bem visíveis (com exceção dos três nomes do switch central, que são pequenos, até por uma questão estética).

A construção mantém o alto padrão do acabamento. A placa é muito bem montada e organizada se utilizando de bons componentes. O pedal possui um trimpot interno que permite o ajuste do nível de saída, acrescentando (como um booster) ou reduzindo volume. O pedal pode ser alimentado por fonte padrão 9v e não possui a opção de alimentação por bateria. Os jacks para entrada e saída de aúdio ficam nas laterais do pedal e a entrada para a fonte fica na parte “da frente” do pedal. O Black Fountain ainda possui uma entrada para pedal de expressão, que fica localizada acima do jack para entrada de áudio.

As embalagens da Old Blood são bastante personalizadas, com uma arte fazendo referência ao modelo em específico. O resultado é muito bom. O pedal vem embalado num saquinho de pano e acompaham o pedal um manual super completo (inclusive com algumas sugestões de regulagens bem interessantes e fora do comum para delays), adesivo, palheta e um bottom com a logomarca da empresa. Tudo de muito bom gosto e fazendo justiça ao pedal e à empresa. Excelente!

 

Timbres

O Black Fountain busca oferecer uma sonoridade de delay anterior a dos delays digitais, que é a dos delays a óleo (Oil Can) que ofereciam uma sonoridade com uma modulação bem destacada (Chorus) e repetições “quentes” e bastante musicais. Ele busca emular unidades clássicas como Morley EDL, Tel-Ray Model 10 e Fender Echo-Reverb. E isso é bem legal porque já oferece uma sonoridade diferente de outros delays que existem por aí. Claro que existem também outros delays baseados nessas sonoridades nesse mercado, não é uma invenção da Old Blood. Mas ainda assim, são sonoridades muito bem vindas e que acrescentam bastante no pedalboard.

O que eu achei mais interessante nesse delay é a capacidade de oferecer sons que podem fugir do tradicional, o que proporciona muitas possibilidades ao músico mas mesmo assim ser capaz de oferecer também sonoridades mais tradicionais, o que vai agradar aos mais puristas. Os três modos que o pedal possui são os responsáveis por essas diferenças sonoridades. O modo Modern emula as unidades clássicas de delay mais longos que citei acima. Oferece uma sonoridade quente com uma carga bem forte de modulação. O modo Vintage é de certa maneira ao modern, mas possui uma sonoridade ainda mais abafada nas repetições. Esses dois modos oferecem até 800ms de atraso. Já o modo Organ emula sonoridades de unidades de delay a óleo mais curtas. Esse modo oferece 211 ms de atraso e controles sobre a modulação, Nesse modo os controles de Time e Feedback controlam rate e depht da modulação, respectivamente.

O que mais me impressionou no Black Fountain foram os timbres diferentes que são possíveis extrair do pedal. No modo Organ, consegui uma sonoridade extremamente modulada com uma repetição curta,bem interessante para se utilizar em single notes. No modo Modern com o controle de time numa configuração baixa e bastante feedback, o pedal produziu um timbre metálico e e quase distorcido com umas oitavas aparecendo aleatoriamente. Bem interessante! No modo Vintage consegui ótimas sonoridades tanto para slapback (com um forte carga de modulação) como para delays mais longos e viajados. É claro que você também conseguirá extrair sonoridades mais “tradicionais” dele, mas as características dele (modulação e sonoridade abafada) estarão sempre lá. E isso confere ao pedal bastante personalidade.

Tenho plena ciência de que o Black Fountain não é um pedal para qualquer um. Aqueles que gostam de sonoridades mais limpas e tradicionais podem de alguma forma torcer o nariz para ele. Eu particularmente, adoro ser desafiado por novas possibilidades e esse pedal me ofereceu diversas. E ainda assim pode oferecer bons timbres mais tradicionais e funcionais de delay. O Black Fountain é um pedal intrigante e inspirador, o que com tantos pedais à disposição no mercado não é lá das tarefas mais fáceis. Vale a pena demais conhecer esse delay!

 

Facilidade de Usar/Achar bons timbres

Se você quiser explorar as diferentes sonoridades que o Black Fountain tem a oferecer vai ser necessário investir um tempo entendendo os três modos e como os controles se comportam de maneira diferente de acordo com o modo utilizado. Mas, pelo menos pra mim, foi um tempo de aprendizado bastante divertido. Vai ser difícil ficar numa só aplicação e é garantido que você encontrará timbres estranhos e musicais no processo. Mas se você quiser apenas um bom timbre de delay analógico, esse pedal também pode te oferecer ótimos timbres.

 

 

Regulagem Favorita

Time: 01:00h

Feedback: 05:00h

Mix: 04:00h

Fluid: 08:00h

Switch:  Vintage

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *