Review: Crunch Master Aura Amps

Primeiras Impressões: AD-300 Analog Delay T. Miranda
abril 1, 2020
Joyo R-11 Baatsin
abril 8, 2020

Review: Crunch Master Aura Amps

 

Acabamento/Construção/Embalagem

Essa nova versão do Crunch Master foi um golaço da Aura Amps. O novo visual deixou o pedal muito mais elegante e classudo. O formato da caixa, a pintura, tudo é uma ótima evolução com relação a versão anterior. A cor escolhida é um vermelho fosco, que formou um ótimo conjunto com os knobs do tipo “chicken head” brancos. As inscrições no pedal são muito bem feitas e fáceis de visualizar e identificar. A configuração dos knobs dá a impressão de que são três knobs atuandfo em cada footswitch, o que não condiz na rática, mas depois de um tempo você acostuma.

A construção do pedal é bem robusta, com uma placa bem montada, sem sobra de solda ou fios e com a utilização de bons componentes.Os jacks para entrada e saída de áudio ficam nas laterais do pedal, assim como a entrada para fonte de alimentação, que pode ser de 9v ou 18v! Lembrando que o pedal usa fonte padrão, centro negativo.

As embalagens da Aura são tão legais que dá vontade de colecionar! A escolha por uma arte com quadrinhos é bem legal e diferente. Mas continuo sentindo falta de algum “material extra”. Por mais que os pedais da Aura sejam simples de usar, um manual apresentando o pedal ao músico nunca é demais. Ajuda no processo de aprendizado e demonstra um cuidado da empresa com o músico. Fica a dica!

Timbres

O Crunch Master por definição é um pedal de distorção, mas com uma versatilidade que proporciona ótimos timbres para diferentes necessidades. Com ele você vai conseguir arrancar sonoridades de Blues-Rock indo até um metal mais moderno, ainda mais se for combinado com o booster de 35 dB do pedal. É uma ferramenta bem interessante para se ter no pedalboard, ainda mais com o booster, que agora é independente nessa nova versão do pedal. As possibilidades se ampliaram bastante.

Vou começar com o booster, que pode acrescentar até 35dB ao sinal. Isso é mais do que suficiente para saturar a entrada de um amplificador valvulado de baixa potência. Só isso já pode transformar o booster, nessa situação específica, num overdrive de primeiro estágio. Utilizei o booster algumas vezes nessa situação e funcionou bem demais. Utilizei também como um Clean Booster apenas para destacar algumas passagens com modulação, num timbre essencialmente limpo. O overdrive do Crunch Master oferece diversas possibilidades. A primeira mudança na nova versão que ajuda na versatilidade do pedal é a equalização de 3 bandas, que é bem mais efetiva que os controles anteriores. Isso já abre um leque bem mais amplo de timbres. Em termos de ganho o pedal tem um alcance bem interessante. É um ótimo pedal para diversas vertentes de rock. Seja com humbuckers, seja com singles coils, você vai encontrar um timbre que lhe agrade, seja para power chords poderosos, seja para solos com um timbre “cortante” ou até para afinações mais baixas.

As três possibiidades de clipagem também se mostraram úteis, especialmente para ajustar o pedal ao tipo de captador da sua guitarra, já que com essa chave você é capaz de adequar os nívels de volume/compressão/ganho no seu timbre. Ao misturar o timbre do pedal com o booster, abrem-se diversas possibiidades. Você pode configurar o booster para trabalhar quase que como um drive de primeiro estágio (dependendo do seu amplificador e guitarra) e utilizar o drive como um overdrive de segundo estágio. O Crunch Master funcionou muito bem pra mim dessa maneira, ainda mais porque uso com frequência amplificadores valvulados de baixa potência. Você pode utilizá-lo de uma maneira mais simples, com o drive para bases e o booster apenas acrescentando um pouco mais de volume para solos.

Essa nova versão do Crunch Master foi um golaço da Aura. A nova equalização acrescentou bastante ao pedal e o booster independente trouxa ainda mais possibilidades sonoras. Se você procura um pedal de distorção versátil, que entregue várias possibilidades e com a habilidade de trabalhar até como overdrive, eu não poderia recomendar mais o Crunch Master. Ele é, sem dúvida, um dos pedais mais legais de distorção disponíveis no Brasil hoje.

 

 

Facilidade de Usar/Achar bons timbres

O Crunch Master é um pedal simples e relativamente fácil de se usar. O grande “pulo do gato” é ajustar a chave Clip as características do seu instrumento. São três possibilidades com diferentes níveis de compressão, volume e ganho que vão proporcionar diferentes dinâmicas e ajustar a encontrar a melhor solução sonora para o seu instrumento. Vale a pena testar bastante e experimentar as possibilidades.

 

Regulagem Favorita

Level: 12:00h

Boost:

Bass: 11:00h

Mids: 12:00h

Gain: 13:00h

Treble: 14:00h

Clip: Meio

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *