Review: Experience Z Rad Custom Shop

Animalizzer
dezembro 29, 2020
Vlog: Retrospectiva 2020
janeiro 4, 2021

Review: Experience Z Rad Custom Shop

Acabamento/Construção/Embalagem

Esse é o primeiro pedal que analisamos da RAD Custom Shop. O acabamento do Experience Z é bem simples, com a caixa toda pintada de branco e um adesivo nas coes branca e verde contendo a arte e as informações de controles do pedal. O pedal ainda conta com um adesivo na parte de trás com a logo do fabricante. É um visual simples, mas que funciona.

A construção do pedal é bem sólida. A placa é bem montada e organizada. Os componentes utilizados são de boa qualidade e não existem excessos de solda ou fios. Os jacks de entrada e saída de áudio ficam nas laterais do pedal, assim como a entrada para fonte de alimentação (9v, padrão Boss), o que atrapalha um pouco caso a intenção seja utilizar um cabo tipo “L”. Não há a opção de alimentação via bateria.

O pedal foi enviado numa caixa genérica, mas o fabricante já nos informou que mudanças no acabamento e embalagens nos pedais estão em andamento. Vieram acompanhando o pedal alguns adesivos.

Timbres

O Tonebender MK II é um dos meus circuitos de fuzz favoritos e é um clássico absoluto. A versão da RAD possui algumas modificações como transistores de silício e com o controle de tonalidade transformado em dois, graves e agudos, o que já de cara oferece mais possibilidades ao circuito.

Ao ligar o pedal com todos os controles na posição 12:00h você já vai receber um “coice” de um timbre gordo e extremamente saturado. E soou lindamente bem com a minha Strato. O Experience Z não é dos fuzzes que melhor limpa com o controle de volume da guitarra, mas mesmo assim dá para utilizar caso você queira explorar algumas texturas diferentes, mas cuidado para o timbre não ficar um pouco sem vida. Para resultados melhores  nessa situação, é bom deixar o controle de bias numa configuração perto do máximo.

E falando no controle de bias, ele é o coração do pedal, que vai modificar a sonoridade do fuzz, deixando-o mais rasgado com aquela sonoridade “falhando” ou transformando-o até quase numa distorção. Encontrar o equilíbrio perfeito entre os controles de ganho e de bias é crucial para encontrar a dose ideal de saturação no Experience Z. Eu gostei do equilíbrio dos controles de graves e agudos mas quem gosta de extrair uns sons mais extremos, ou gosta de um timbre mais ardido, pode sentir falta de uma “mordida”a mais de agudos. Eu também acho que o pedal poderia ter um pouco mais de volume.

 

O Experience Z se mostrou um pedal bem competente. Baseado num circuito clássico, mas apresentando suas próprias características, deve se tornar uma ótima opção de fuzz para quem gosta de usar esse tipo de saturação. Se você já gosta de fuzz, pode dar uma olhada com carinho esse pedal. Se ainda não gosta, ainda tem tempo para corrigir esse erro. O Experience Z foi uma das surpresas mais legais de 2020.

 

 

Facilidade de Usar/Achar bons timbres

Entender como o controle bias interfere na relação ganho/volume do Experience Z é fundamental para extrair o que o pedal pode oferecer de melhor. No mais, é um pedal super tranquilo de se usar e entender. E bem fácil de se extrair ótimas sonoridades de fuzz.

Regulagem Favorita

Gain: 5:00h

Bias: 12:00h

Level: 5:00h

Bass: 3:00h

Treble: 1:00h

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *