Review: Fuzzy Analog FX

Ziffer Overdrive – Jordan Ziff Signature MINI Pedal
agosto 12, 2021
Orion
agosto 16, 2021

Review: Fuzzy Analog FX

 

Acabamento/Construção/Embalagem

Os pedais da Analog FX tem por característica um design simples, mas que eu acho bem interessante. As caixas são “cruas” e as informações referentes ao modelo, controles e logo do fabricante constam em pequenas placas fixadas ao pedal. Esse padrão se repete em toda a linha, tendo a cor verde como predominante nos pedais da marca. É uma solução simples mas que gerou um resultado bem interessante (pelo menos para mim).

O pedal é minúsculo e obviamente isso se reflete no tamanho da placa e componentes. Eu não sei como dá pra juntar tanto componente numa plaquinha desse tamanho, mas estão todos lá. A placa é montada à mão com tudo muito bem soldado. Os jacks para entrada e saída de áudio ficam nas laterais do pedal e a entrada para fonte de alimentação fica na parte de trás do pedal. O pedal é alimentado por fonte padrão 9v e consome 90mA.

A embalagem da Analog FX é bem simples, de papelão “cru” mas com a logo do fabricante impressa na parte superior e um adesivo com algumas informações técnicas sendo usado para lacrar o pedal. Achei a idéia interessante mas senti falta de um manual. Pelo fato do pedal ser bem pequeno o fabricante colocou dois “berços”de papelão para impedir que o pedal fique solto dentro da caixa.

Timbres

Pedais de fuzz ainda estão entre os mais incompreendidos pelos guitarristas. Isso vem mudando, é verdade, mas ainda existe um certo tabu com relação a utilização do efeito. Quer seja pela sua sonoridade excessivamente suja ou pela interação difícil com outros efeitos, ainda existe um certo receio da parte de alguns em abraçar esse tipo de sonoridade. Pela sua sonoridade e simplicidade, o Fuzzy é um ótimo candidato para ser o primeiro fuzz dos mais resistentes ao efeito.

O Fuzzy vai proporcionar um timbre de fuzz tradicional, pronto para ser utilizado.Ele vai oferecer bastante ganho, que vai soar muito bem para bases gordas e gordurentas ou linhas melódicas com bastante sustain. É um pedal que vai ser bem útil para diferentes vertentes e rock e blues. Uma coisa que me chamou bastante a atenção nesse pedal é a maneira que ele interage com os captadores da guitarra. E é curioso como isso, de certa maneira compensa a ausência de controles de tonalidade no pedal.

Outra maneira de suprir essa ausência é utilizando os controles de volume e tonalidade do seu instrumento. Dá para encontrar texturas bem interessantes trabalhando esses controles em conjunto com os captadores. Obviamente a ausência de mais opções no pedal pode incomodar alguns. Mas para quem acredita que menos é mais e procura um bom timbre de fuzz sem se preocupar em ficar girando botões, o Fuzzy é uma alternativa pra lá de interessante, ocupando pouquíssimo espaço no pedalboard.

Facilidade de Usar/Achar bons timbres

Fala sério. Apenas um controle de volume. Não tem como ficar mais simples do que isso. A minha dica é, explore os controles do seu instrumento e vejam como eles reagem com a sonoridade que o pedal entrega.

 

 

Regulagem Favorita

Volume: 1:00h

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *