Review: Hoof Earthquaker Devices

Hedra
maio 29, 2019
Carolina Reaper
junho 3, 2019

Review: Hoof Earthquaker Devices

 

Acabamento/Construção/Embalagem

A qualidade dos produtos da Earthquaker Devices já é bastante conhecida de todos. A empresa pensa muito bem nos seus produtos e o acabamento dos seus pedais é um reflexo disso. Mesmo sendo um pedal já a algum tempo no mercado, o Hoof mostra como o direcionamento da empresa já estava bem definido desde o início. A pintura do pedal é impecável  e arte bem diferente do convencional, o que torna o pedal bastante chamativo. A escolha dos knobs também faz sentido e acrescenta ao visual do pedal.

A construção do Hoof segue com o mesmo padrão de qualidade. A placa é muito bem montada e organizada e os componentes são de boa qualidade. Os jacks para entrada e saída de aúdio ficam na parte da “frente” do pedal, assim como a entrada para a fonte de laimentação (Centro negativo, padrão Boss). Um detalhe interessante é que o Hoof é um dos únicos pedais da EQD que ainda possui a opção de alimentação através de bateria de 9v. O pedal é True-bypass e possui um led azul bem brilhante.

A embalagem da EQD é muito bonita, colorida com a logo do fabricante em destaque. O pedal vem acondicionado dentro de um saquinho de pano e acompanhando o pedal na embalagem ainda tem palheta, catálogo, adesivo e o manual do pedal. Eu nem sei como eles fazem pra colocar tanta coisa dentor da caixa, mas é sempre bacana quando o pedal vem com esses detalhes a mais, tudo para agradar ao público consumidor. Muito bacana!

 

Timbres

O Hoof é um pedal inspirado no clássico Big Muff Russo, com um circuito híbrido que se utiliza de transistores de silicio e germânio. Com essa descrição, se você já conhece um pouco sobre o universo de pedais, já imagina que tipo de som esse pedal pode oferecer: Uma saturação poderosa, comprimida e com bastante sustain. E é exatamente isso que ele oferece. Mas com uns truques e diferenciais que o fizeram ser um sucesso absoluto da EQD e um queridinho entre os amantes de Big Muff’s.

Ele oferece os três controles tradicionais do Muff (Volume, Tone e Fuzz) e a adição do quarto knob (Shift) é a grande sacada do fabricante. O knob “Shift” atua em conjunto com o controle de tonalidade e atua no controle dos médios que o pedal oferece. Atráves desse controle você será capaz de tanto escavar os médios (girando o knob no sentido horário) como de deixá-los mais proeminentes e destacados (girando o knob no sentido anti-horário). Isso oferece ao pedal uma versatilidade muito maior do que normalmente se encontra nesse tipo de circuito, já que uma das questões que sempre se debateu sobre o Big Muff era a sua dificuldade de se destacar na mix por conta da ausência de médios, sendo necessário deixar o pedal em volumes muito altos para que isso acontecesse.

O Hoof se deu bem com diferentes guitarras e captadores oferecendo ótimos timbres. Com singles alcancei sons cortantes mas longe de soarem “magros”. Oferecendo muito sustain, o pedal fez a guitarra cantar! Já com Humbuckers a massa sonora foi absurda, parecendo que gordura era extraída dos falantes do amplificador. O range do controle de ganho não varia tanto, produzindo sempre bastante ganho, mesmo com o knob numa configuração “baixa”. O controle de tonalidade é auxiliado pelo controle shift e é onde a mágica acontece. Com esse controle também foi interessante misturar o Hoof com diferentes pedais de overdrive, o que produziu sempre sonoridades bem distintas e interessantes.

Não é a toa que o Hoof é o pedal mais vendido da Earthquaker Devices. Eles pegaram um timbre clássico, altamente reconhecido e amado e, sem descaracterizá-lo, acrescentaram mais possibilidades, tornando-o ainda mais versátil. Se você gosta da sonoridade clássica e inconfundível do Big Muff, esse é um pedal que você precisa conhecer. Se você ainda não foi atingido pelo vírus “muffístico”, esse é um pedal que você deveria conhecer. O Hoof é um touchdown da EQD!

Facilidade de Usar/Achar bons timbres

O Hoof é bem fácil de se usar, ainda mais se você já conhecer os timbres que um Big Muff podem oferecer. São controles bem intuitivos e vale a pena gastar um tempo entendendo e testando as possibilidades e a interação entre os controles de tone e shif, que é onde o pedal se diferencia e se destaca.

 

Regulagem Favorita

Volume: 12:00h

Tone: 11:00h

Shift: 11:00

Gain: 10:00h

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *