Review: Julia Walrus Audio

Dr. Robert Overdrive
maio 9, 2019
Fuzz Bender
maio 13, 2019

Review: Julia Walrus Audio

 

Acabamento/Construção/Embalagem

Os pedais da Walrus Audio já são bem conhecidos pelo seu ótimo e diferenciado acabamento. Eu diria até que o destaque nessa área ajudou a popularizar os produtos da marca, que se diferenciam do usual e chamam bastante a atenção. E com o Julia não poderia ser diferente. A pintura é muito bem executada e a arte escolhida pelo fabricante é bastante emblemática. Os knobs em aço escovado também complementam o acabamento e visual matadores do pedal.

A construção segue o ótimo padrão da empresa, com uma placa muito bem montada, limpa, organizada e utilizando-se de ótimos componentes. Os jacks para entrada e saída de áudio ficam nas laterais do pedal enquanto a entrada para a fonte de alimentação fica na parte superior do pedal. O Julia não possui opção de alimentação por bateria. O pedal deve ser alimentado por fonte padrão (9 volts, centro negativo). O pedal possui dois led’s: Um que indica quando o efeito está ligado e o outro a velocidade do efeito. Esse segundo led não seria necessário, mas é uma maneira bem fácil de visualizar o ajuste da velocidade do efeito, o que acaba sendo útil em algumas situações.

A Walrus tem um conceito muito bem definido sobre os seus produtos e isso se reflete até no cuidado que o fabricante tem com suas embalagens, que são muito bonitas e fazem parte desse “pacote” do produto. A embalagem é preta com a logo do fabricante estampadas em todos os lados do pedal. Acompanham o pedal um manual (muito bem explicado), um cartão da empresa, uma palheta e um adesivo. Tudo muito bem feito e de muito bom gosto!

 

Timbres

Se tem um efeito que foi deixado de lado nos últimos anos foi o chorus. Após marcar uma década (com muitos excessos, é verdade) o efeito caiu em desuso e passou anos esquecido por vários guitarristas. Com esse cenário posto, fica ainda mais surpreendente o feito do Julia, um chorus que começou a aparecer em diversos pedalboards mundo afora e se tornou o pedal mais vendido da empresa! Um feito e tanto para um pedal de chorus, certo? Se você sempre torceu o nariz para esse tipo de efeito, o Julia pode te surpreender. Mas se você ama chorus e vibrato, pode preparar o bolso…

Eu acredito que a principal virtude do Julia é a de oferecer timbres clássicos de chorus, novas possibilidades e sonoridades ao efeito e a capacidade de, caso o músico deseje, utilizar o efeito de maneira mais discreta, já que o medo de soar “datado” parece ser grande. Os controles Rate (velocidade) e Depht (profundidade) são mais tradicionais em outros modelos de chorus e aqui eles apresentam um bom alcance e profundidade, oferecendo ótimas possibilidades. O que vai diferenciar esse pedal dos outros começa com o knob Lag, que vai determinar o tempo de delay modulado pelo LFO. Para facilitar, ele vai trabalhar a intensidade do efeito, promovendo timbres sutis de chorus até sonoridades que flertam com flanger. E você ainda será capaz de mudar o tipo de onda gerada pelo pedal através de um switch

Outra sacada que ajuda o Julia a se diferenciar dos demais é o knob D-C-V blend, que permite que você defina o efeito do pedal e/ou misture diferentes combinações. Isso abre um leque de sonoridades, já que você é capaz de deixar o chorus bem discreto (ajustando esse knob entre as letras “D” e “C”) ou misturar chorus e vibrato (configurando o knob entre as letras “C” e “V”). São muitas possibilidades e ótimos timbres que vão fazer você repensar a necessidade de um chorus no seu pedalboard. As sonoridades produzidas pelo Julia são quentes e orgânicas e com uma ótima variação de possibilidades. Fuçando bastante no pedal você vai encontrar sonoridades bem convincentes de rotary speaker (“Depht” ao meio dia, modo Chorus e knob “lag” no máximo) e até de tremolo. Tudo nesse pedal é extremamente musical e eu gostei de praticamente tudo nele. Mas o que mais me agradou, foi o modo vibrato.

O Julia é muito musical e orgânico, se encaixando muito bem em diversas oportunidades em que foi utilizado, independentemente de guitarra ou amplificador utilizado. O Chorus ofereceu um timbre gordo e quente, sem soar brega e o vibrato oferece uma sensação de movimento deliciosa, preenchendo espaços de maneira sutil, mas bastante presente. Esse pedal é um golaço da Walrus, que foi capaz de lembrar aos guitarristas o quão legais os efeitos de chorus e vibrato podem ser!

 

Facilidade de Usar/Achar bons timbres

O Julia é um pedal bem fácil de se usar mas com muitas sutilezas e interatividade entre os controles. Isso vai proporcionar ao guitarrista diversas sonoridades e possibilidades que vão se encaixar em diferentes necessidades. Por isso é bom investir um tempo experimentando e testando o pedal para achar o que ele pode oferecer de melhor para você.

Regulagem Favorita

Depth: 14:00h

Rate: 11:00h

Lag: 09:00h

D-C-V: V

Switch: ~

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *