Review: La Super Rica Fuzz Seymour Duncan

Ottawa
outubro 5, 2021
Vibe Machine v.3
outubro 7, 2021

Review: La Super Rica Fuzz Seymour Duncan

 

Acabamento/Construção/Embalagem

Esse é o primeiro pedal da Seymour Duncan que é avaliado aqui no site. Mas com todo o background do fabricante, não era difícil de imaginar que eles entregariam um produto impecável. E atenderam as minhas expectativas. O Acabamento do La Super Rica é excelente e o pedal tem uma cor bem fora do comum. A arte também  não é das mais bonitas, mas torna o visual do mesmo bem diferente.

A construção segue o mesmo padrão do acabamento, com uma qualidade de montagem impecável. A placa é muito bem montada, com ótimos componentes. Os jacks de entrada e saída de áudio ficam “na frente”do pedal (top mounted) assim como a entrada para alimentação. O pedal deve ser alimentado por fonte padrão (9v a 18v, centro negativo) e possui a opção de ser alimentado por bateria.

A embalagem é de papelão (cor de madeira) personalizada com a logo do fabricante e adesivos laterais indicando o modelo que está na caixa. Dentro, acompanham o pedal um manual (muito bem escrito, com diversas sugestões de regulagem e explicação de cada controle), um catálogo da empresa e adesivo. Tudo muito bem feito e executado.

Timbres

O La Super Rica é um fuzz de silício que foi inspirado pelos clássicos fuzzes da década de 60 (Sim, estou me referindo aos Fuzz Face) com a adição de interessantes controles de frequência, que são o grande diferencial do pedal. É um fuzz na sua essência clássica, com timbres característicos desse tipo de saturação mas com uma ampla variedade de diferentes sonoridades.

Para mim, o grande destaque (e diferencial) do La Super Rica são os controles de médios semi-paramétricos. O pedal possui dois controles para tratar dessas frequências: Um para o volume dos médios, que funciona com um tipo de controle de mix, apenas para os médios e outro para as frequências médias, que abrangem de 548 Hz a 2.2 Khz. E é muito interessante testar esse controle com o controle de volume de médios no máximo, para perceber onde as frequências atuam e de que forma se comportam dentro da mix da banda. No meu caso, em diferentes formações da banda fui “afinando” os médios durante os ensaios, achando a faixa de médios que melhor trabalharia para o meu som e funcionou bem demais. Esses controles fizeram toda a diferença na hora de destacar o timbre de fuzz no meio da banda, o que não é das tarefas mais fáceis de se realizar.

Outro controle que faz muita diferença na versatilidade desse pedal é a chave “voicing”que é responsável por controlar as frequências graves do pedal. São três posições que ajudam muito na hora de adequar o pedal a diferentes guitarras e amplificadores. Se você toca com Les Paul, por exemplo, você pode cortar os graves deixando a chave na posição “Lean”, ou caso esteja utilizando single-coils colocar a chave na posição “Fat”. A chave ainda tem a posição “Flat” para deixar os graves equilibrados.  O La Super Rica oferece ótimas sonoridades tanto para acordes “crocantes”com graves bem redondos numa configuração de ganho mais baixa e consegue até trabalhar como booster numa configuração com pouquíssimo fuzz e bastante volume. Mas, obviamente você também será capaz de extrair timbres clássicos com bastante ganho desse pedal.

O La Super Rica poderia ser apenas mais um bom pedal de fuzz, mas os controles semi-paramétricos de médios colocam o pedal num outro patamar. Com esses controles aliados a chave voicing, você vai ser capaz de utilizar o pedal com praticamente qualquer guitarra/amplificador e até baixo. Com esse pedal você nunca mais vai se preocupar em ficar perdido na mix por usar um fuzz. Eu me peguei várias vezes procurando a frequência exata de médios para encaixar minha guitarra na banda e parece um troço mágico. Eu não poderia recomendar mais esse pedal, especialmente se você já tem alguma experiência com fuzzes. Se tornou um dos meus favoritos!

Facilidade de Usar/Achar bons timbres

Se você gosta de fuzz não vai ter dificuldade alguma para se adaptar ao La Super Rica. Se você já conhece de pedais e entende um pouco de equalização, vai dominar sem maiores dificuldades os controles de médios semi-paramétricos. Mas mesmo conhecendo de fuzz, vle a pena explorar todas as possibilidades dos controles de equalização. Eles acrescentam muito à sonoridade do pedal você pode “afinar” o seu timbre, adequando o seu timbre de acordo com a mix da banda e/ou local onde você vai tocar.

Regulagem Favorita

Volume: 12:00h

Fuzz: 1:00h

Mid Lvl: 3:00h

Mid Freq: 12:00h

Voicing: Flat

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *