Review: Rook Mojo Hand FX

Lunge
junho 19, 2019
Nitro
junho 24, 2019

Review: Rook Mojo Hand FX

 

Acabamento/Construção/Embalagem

A Mojo Hand FX é hoje uma marca que pertence a Cusack Music. O pedal que avaliamos é da época em que a Mojo Hand ainda era uma marca independente. Essa é a arte que empresa produzia na época e a cor é uma edição exclusiva vendida à época numa toragem limitada pela loja Tone Factor ( Que também não existe mais). A cor é de um dourado muito bonito e a arte é bastante emblemática. Se você quiser conhecer a arte atual do Rook que é produzido pela Cusack, clique aqui. Eu, particularmente, prefiro a arte antiga (dessa versão que estamos analisando).

A construção atual do pedal se mantém a mesma, por isso a versão que estamos analisando ainda reflete à fabricada atualmente. A placa é muito bem montada,se utilizando de ótimos componentes. Os jacks de entradas e saídas de aúdio ficam nas laterais do pedal, assim como a entrada para fonte de alimentação, que fica um pouco abaixo do jack de saída de aúdio. O pedal pode ser alimentado por fonte (9V, centro negativo) ou bateria. O consumo dele é de 6mA.

A embalagem segue aquele velho padrão “caixa branca adesivada”. Bem sem graça. Mas dentro a empresa compensa, oferecendo adesivos, bóton e até um abridor de garrafas com a logomarca do fabricante! Ainda acompanha um manual simples mas bem útil. O pedal ainda vem embalado num saquinho de pano.

 

Timbres

Eu sei que o mercado está repleto de overdrives. Vários ótimos, alguns ruins e centenas de opções. E esse pedal foi lançado em 2011! Será que ele ainda é relevante? Na minha opinião é sim. E vou começar dizendo que o Rook é um dos overdrives mais versáteis que eu tenho e/ou já testei. E a versatilidade está no ótimo alcance dos seus controles. Em termos de ganho eu diria que ele é um overdrive de médio ganho, mas que pode fazer muito bem a função de um overdrive de baixo ganho caso seja necessário. Sonoridades mais pesadas já fogem um pouco da proposta dele, embora seja possível alcançar ótimos timbres para Hard Rock nele.

O Rook também possui uma seção de equalização bem poderosa.Os controles de equalização são bem efetivos e proporcionam diversas sonoridades. O controle de graves é bem poderoso então é preciso atenção na sua regulagem para os graves não embolarem quando for usar uma guitarra mais encorpada, utilizando-se de humbuckers, por exemplo. Os agudos proporcionados pelo pedal são cortantes e eficientes mas é válida a mesma recomendação anterior, só que dessa vez para o controle de agudos em guitarras que possuem o timbre mais magro/aberto. Mas a combinação dos dois controles é muito eficiente e oferece ótimos timbres em qualqerti tipo de guitarra.Os graves profundos do Rook fizeram minha Strato adquirir um “corpo” instigante na sua sonoridade, sem descaracterizá-la. Com a Les Paul foi necessário dosar esses graves, mas o pedal proporcionou ótimos agudos com um brilho muito bem vindo. O Rook oferece uma excelente articulação e clareza nas notas.

E ainda temos a chave de 3 posições que atua tanto nos controles de EQ como no de ganho. Na posição superior você vai encontrar timbres de overdrive clássico, inspirado no famoso TS. Na posição para baixo o pedal proporciona um timbre mais “cru” e direto, flertando com uma distorção. Na posição central os diodos são retorados da equação e o timbre é mais aberto, mais alto, mais limpo e monos comprimido. E é nessa posição que os controles de equalização possuem a maior atuação, permitindo que o Rook se torne um ótimo booster para moldar o seu timbre. Outro detalhe é que ele trabalha muito bem com outros overdrives e fuzzes, sendo uma ótima opção para quem gosta de somar drives para construção de timbres diferentes.

O Rook é um ótimo overdrive. É revolucionário? Não. Vai mudar a indústria da música e dos pedais? Também não. Mas é um overdrive que oferece uma ótima variedade de bons timbres, que pode exercer diferentes funções dentro de um pedalboard e se dá muito bem com outros pedais de drive e fuzzes. Tanto pela sua versatilidade como pelos ótimos sons, o Rook é uma ótima opção para quem ainda está na busca por um bom overdrive. Quem sabe sua busca não se encerra aqui?

Facilidade de Usar/Achar bons timbres

O desafio do Rook está relacionado a como os controles interagem entre si.O pedal em si é bem simples de se usar mas a interação entre os knobs (especialmente os de equalização) e a chave de clipagem é parte essencial da versatilidade do pedal e são inúmeras as possibilidades de ajustes e configurações. Vale a pena investir um tempo pesquisando e descobrindo tufo o que o pedal tem a oferecer.

 

Regulagem Favorita

Volume: 12:00h

Gain: 10:00h

Treble: 13:00h

Bass: 12:00h

Switch: Meio

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *