Review: Spring Reverb Landscape Audio

Dois lançamentos da Animals Pedal!
março 25, 2021
Electric Blue II
março 29, 2021

Review: Spring Reverb Landscape Audio

 

Acabamento/Construção/Embalagem

Os pedais da Landscape Audio passaram por uam “sofisticação” ao longo do tempo e eu acredito que eles chegaram num padrão bem interessante. As caixas tem um parão personalizado para quase toda a linha, mudando apenas as cores na arte para cada efeito. A pintura do Spring Reverb é simples mas bem eficiente. Todas as inscrições são bem visíveis e eu achei o tamanho e o formato do pedal bem interessantes. As laterais com uma placa dobrada e pintada numa cor neutra tornam o visual mais sofisticado além de transmitir uma maior sensação de robustez do pedal.

A construção também segue um padrão bem competente, com uma placa bem montada (repleta de componentes), organizada e muito bem soldada. Os jacks para entrada e saída de ádio ficam na “frente” do pedal, juntamente com a entrada para a fonte de alimentação, não possuindo opção de alimentação por bateria. O pedal deve ser alimentado com 9v, centro negativo (padrão Boss). Um detalhe que precisa ser destacado é de que o pedal é Buffered bypass. O que signica que você pode ter uma recuperação de algum sinal perdido no fim da sua cadeia.

A embalagem do produto é ótima. A caixa conta com uma linda “luva” com uma ótima impressão (hot stamping?) destacando o modelo que está sendo adquirido. Trabalho muito legal! Sem a luva a caixa, na cor preta, apresenta a logomarca do fabricante por todos os lados(em uma das faces o que está em destaque é o endereço do site). O pedal vem embalado num saco plástico e acompanham um certificado de garantia e um manual que é muito bem escrito e ilustrado, onde o usuário pode esclarecer qualquer dúvida sobre o pedal. Ótimo trabalho!

Timbres

Em tempos de reverbs grandiosos e com múltiplas opções, pedais mais simples como o Spring Reverb acabam ficando relegados por não atenderem exatamente a “moda em vigor” ou que se busca em termos de “timbre da moda”. Como eu sou um velho (eu iria utilizar o termo “Old School”, mas gourmetizar idade é de lascar…), acredito que um bom reverb de molas resolve minha necessidade em grande parte do tempo. Gosto da profundidade que esse tipo de reverb oferece com a capacidade de permanecer discreto. E aí eu decidi testar essa opção “quase esquecida” da Landscape.

Eu acredito que manter as expectativas dentro da realidade nos ajudem a entender melhor os pedais e o que podem nos oferecer. Nem todo pedal precisa ser um marco de inovação tecnológica ou carregar a responsabilidade de ser o mais emblemático efeito da última semana. E o Spring Reverb é um pedal que não tem a pretensão de mudar nada, nem de reinventar a roda. É um pedal simples e funcional, bem útil para quem precisa apenas dar “aquela molhada” no som.  A proposta do pedal é oferecer uma simulação dos reverbs de mola, oferecendo ao músico a opção de selecionar o tamanho desse tanque através do controle Type (Pequeno com duas molas, grande com duas molas ou grande com três molas) e o tempo de decaimento (ou duração do reverb que vai de 5ms até dois segundos, dependendo do ajuste do controle Decay.

 

Como eu citei anteriormente, o Spring Reverb oferece uma sonoridade simples, mas muito funcional. É uma sonoridade que pode ser usada em diversos estilos, do Pop ao rockabilly, do blues à surf music (em configurações mais extremas). Minha utilização do pedal foi bem simples. A função dele era oferecer ao meu timbre uma certa profundidade e ambiência, mas de maneira discreta e musical. Não queria de timbres super grandiosos de reverb, apenas uma leve ambiência, e o pedal, nessa atribuição, se mostrou super eficiente. Oscilei entre a simulação de tanques de duas molas (grande e pequeno) buscando o nível de ambiência que eu necessitava de maneira simples e efetiva.

Praticidade é uma virtude perdida no meio guitarrístico, ante a tantos setups cada vez mais complexos. Eu continuo curtindo a simplicidade e a beleza de um simples reverb de mola e o Spring Reverb pode muito bem exercer essa função dentro do seu pedalboard. Simples e efetivo, ele entregará timbres uper honestos e prontos para “molhar o seu som”, sem que seja preciso fazer um curso da NASA para operá-lo. Ele tem suas limitações, é claro, mas a proposta do fabricante de oferecer um produto simples e eficiente foi cumprida com um resultado final bem interessante.

 

 

Facilidade de Usar/Achar bons timbres

O Spring Reverb é super simples de se utilizar e rápido de entender. Três controles que vão controlar a quantidade e a intensidade do reverb que você terá no seu sinal. Basicamente é isso. Sem maiores dificuldades ou complicações. Um detalhe a sempre lebrar é: Lembre-se de considerar que o local onde você vai tocar também possui algum tipo de reverberação.

Regulagem Favorita

Level: 12:00h

Decay: 12:00h

Type: 09:00h

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *