Review: Strokkur KMA Machines

Caffeine Booster
outubro 29, 2020
Mainframe
novembro 3, 2020

Review: Strokkur KMA Machines

 

Acabamento/Construção/Embalagem

Já analisamos outros pedais da KMA Machines por aqui e o acabamento dos pedais da empresa é simplesmente impecável. E com o Strokkur não poderia ser diferente. A pintura é muito bem executada na cor verde e forma um ótimo conjunto com a arte impressa em branco assim como as incrições no pedal, que são bem visíveis. O nome faz referência a um Geiser localizado nas gélidas terras da Islândia. O fabricante tem uma preocupação com o visual dos seus pedais e isso gerou uma identidade muito interessante para a marca.

A construção é excelente, com uma placa muito bem montada com tudo muito bem soldado sem sobras nem excessos. São utilizados ótimos componentes. O Strokkur é true bypass e pode ser alimentado apenas por fonte padrão (centro negativo, 9v).Os jacks de entrada e saída de áudio ficam nas laterais do pedal e a entrada para a fonte, na “frente” do mesmo. O Sytrokkur utiliza transistores AC125 NOS de germânio  e os controles de equalização são passivos.

A embalagem da KMA é muito bonita e só valoriza o produto que vem dentro dela. A logo do fabricante está estampada na parte superior da caixa e há informações sobre o modelo e fabricante nas laterais da mesma. Dentro, o pedal vem muito bem protegido por algum tipo de raspas de papelão. Acompanham o pedal um manual pequeno e objetivo contendo as informações sobre o pedal e três belíssimos adesivos.

Timbres

Treble Boosters vem sendo ferramentas importantes de lendas da guitarra por muitos anos e marcaram clássicos do rock. Para não me estender muito nisso, cito Brian May e Tony Iommi como guitarristas que exploraram as qualidades desse circuito. Eles eram usados principalmente para empurrar amplificadores valvulados, acrescentando  punch e agudos ao resultado final. A proposta dessa categoria de boosters nunca foi de proporcionar um acréscimo de sinal “limpo”, mas sim, mais sujeira. E o Strokkur entra nessa categoria, entregando ainda mais possibilidades que o circuito clássico, mas sem descaracterizá-lo.

As possibilidades que esse pedal oferece são bem interessantes, a começar pelo controle range. Ele permite que você selecione a área de atuação do booster e a forma como ele vai se comportar. Ele vai de um treble booster tradicional (baseado no clássico Dallas Rangemaster) até um full range booster, onde todas as frequências são acentuadas, além de todas as possibilidades dentro desse intervalo de atuação do controle. Isso permite que você utilizer o Strokkur como um verdadeiro “tone shapping”, adequando o pedal ao seu instrumento/amplificador da melhor maneira possível. Os controles de equalização presentes no pedal só reforçam esse atributo, já que você pode cortar frequências indesejadas através dos controles bass e treble, o que ajuda bastante na adaptação a diferentes situações.

O Strokkur pode acrescentar até 17dB de sinal quando no máximo, o que é suficiente para saturar praticamente qualquer timbre de amplificador limpo. Esse é o tipo de pedal que pode exercer diferentes funções dentro do seu pedalboard. Ele é ótimo para empurrar amplificadores valvulados, e no meu caso que tenho utilizado amplificadores de baixa potência, foi só alegria. Apenas uma pisada foi necessária para fazer com que meu Electar 30 (combo valvulado da Epiphone que utilizo bastante ao vivo) ou meu Mini 8 começassem a “cuspir fogo”. Ele pode também empurrar outros pedais de drive, mudando a característica desse drive para passagens específicas e/ou solos e até como drive de primeiro estágio, dependendo da guitarra e amplificador utilizados.

Não foi a toa que grandes guitarristas exploraram os recursos do treble booster no decorrer do tempo. Se você usa amplificador valvulado a atuação desse tipo de circuito se torna ainda mais interessante e com o Strokkur e suas possibilidades, o resultado final é um verdadeiro parque de diversões no pedalboard, em apenas um único pedal. E eu já deixo vocês avisados: Ao testar esse pedal, você não vai querer mais abandoná-lo. Mais do que recomendado!

Facilidade de Usar/Achar bons timbres

Apesar de possuir apenas 4 knobs o Strokkur precisar ser explorado com paciência. A interação entre os controles é bem efetiva e oferece muitas possibilidades, que devem ser exploradas na busca da configuração ideal para o seu setup. Inclusive, caso você tenha guitarras com diferentes captadores, é possível que as configirações no pedal sejam diferentes para cada instrumento, o que evidencia ainda mais a necessidade de conhecer bem os controles e o que eles podem oferecer.

Regulagem Favorita

Range: 1:00h

Boost: 3:00h

Bass: 2:00h

Treble: 5:00h

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *