Review: Reverb FS-02 Flamma Innovation
setembro 14, 2021
Review: Echoes Fuhrmann
setembro 17, 2021

Rage Master NKT275

Novidade da Tone Ink!

O Rage Master (NKT275*) é um Treble Booster baseado no lendário Dallas Rangemaster (RM): o fenômeno britânico da década de 60 e 70. Foi o booster que marcou a sonoridade de guitarristas como Jimmy Page, Brian May, Eric Clapton, Tony Iommi, Rory Gallgher, Marc Bolan, Richie Blackmore e vários outros. Não, não é um clean booster! Não, não é um booster flat! Tem um voice de médios e médio/agudos marcantes para “abrir” o timbre e proporcionar uma distorção cremosa, coesa e, principalmente, definida.

Na época, o Vox Ac30, Mashall JTM45, Blues Breaker, ou Laney LA100 eram os amps mais comuns entre os guitarristas ingleses. Combinados com guitarras de corpo sólido e captadores PAF style de baixa saída, proporcionavam uma sonoridade velada e uma saturação “lamacenta” em alto ganho. O RM era o queridinho entre os ingleses, por “boostar” os médios, trazendo uma distorção que os amplificadores apresentavam por si só. Quase 60 anos se passaram desde sua criação, e a personalidade sonora do RM marcou seu espaço na história da guitarra e do rock. Você pode nunca ter testado um pedal parecido, mas se você ouve Queen, Led Zeppelin ou Black Sabath, esse som já está cravado na sua memória.

CONTROLES:
BOOST- Controla volume, saturação e ganho da frequência escolhida na chave de MIDs.
CHAVE DE MIDs: Combina capacitores que formam o filtro highpass que determina as frequências de médios que serão
enfatizadas.
B. May – Médios mais “vocais”, saturação branda e contem os graves para proporcionar ganho em cascata sem embolar.
Uma referencia imediata ao Brian May, guitarrista que marcou época com sua guitarra Red Special autoral acompanhada
por alguns Vox Ac30, e um Treble Booster.OBS: Somando-se com drives e amps saturados mais “modernos”, aumentará o
ganho e fará ênfase marcante nos “médios vocais”.
J. Page – Modo intermediário com médios vocais mais macios e presentes, um pouco mais de corpo, mas sem embolar e saturação moderada. Voicing de médios com referência ao Led Zeppelin. Somando-se com drives e amps saturados mais “modernos”, aumentará o ganho e proporcionar uma distorção mais tight/coesa mas sempre com aquele vintage flavour.
Cream – Uma referência ao Woman Tone do Eric Clapton, é o modo mais “fullbody” das três opções. Oferece mais ganho,
uma saturação mais encorpada, mais velada e que pode gerar um fuzz utilizando boost no máximo.

*O NKT275 que é um transistor PNP de germânio muito utilizado por handmakers de pedais de boutique para reprodução e reedição de fuzz´s e treble boosters clássicos. O Rangemaster originalmente era feito com os Mullard OC44, OC71 ou os NKT275. Devido a sua ‘hype’ e demanda crescente, o seu preço disparou e por isso começou a ser frequentemente falsificado a partir da remarcação de outros transistores com especificações parecidas. Como sua distinção é
difícil e exige certa expertise, decidimos utilizar o NKT275 feito pela marca DSI, uma empresa alemã confiável e especializada em componentes eletrônicos descontinuados. Trata-se de uma indústria que prima pela alta qualidade e que reproduz transistores, diodos e semicondutores seguindo estritamente as especificações originais de cada componente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *