Review: Indigo v.2 VTR Effects

Queen Bee
dezembro 21, 2020
Eddy
dezembro 28, 2020

Review: Indigo v.2 VTR Effects

 

Acabamento/Construção/Embalagem

Se você pegar o Indigo em mãos, sem conhecer a procedência pode imaginar que se trata de um pedal gringo, tamanho o capricho no acabamento da VTR Effects. A pintura é muito bem executada sem nenhum tipo de falha, com uma cor azul muito bonita e knobs brancos complementando o belíssimo visual. Meu único senão para a arte é que fica difícil de se enxergar os modos do pedal (especialmente para um míope como eu) que são colocados numa fonte pequena (compreensivelmente, afinal são 8) e em cores diferentes, que combinam com o led de cada modo.

O pedal é muito bem montado e construído. A placa é muito robusta com bons componentes e sem sobras ou exageros de fios, cola, etc. Os jacks para entrada e saída de áudio ficam na “frente”do pedal assim como a entrada para fonte de alimentação. A fonte utilizada deve ser de 9v, centro negativo e o pedal consome 100mA. Então dê preferência a uma boa fonte isolada para trabalhar com esse pedal. Um detalhe que eu acho que poderia ser melhorado é a intensidade da cor do led que indica qual modo está selecionado. Acho que tornaria a identificação mais rápida e eficiente.

A embalagem na cor preta é bem firme e tem impressa a logo do fabricante impressa em todos os lados. Achei ela um pouco maior que o necessário. Como o pedal foi enviado para review ainda não contava com um manual, que eu acho que para esse produto é fundamental (mesmo com todas as informações necessárias para a operação do pedal, constando no site do fabricante). Um pedal tão bacana como o Indigo merecia uma apresentação no nível do pedal.

Timbres

O Indigo é um verdadeiro “Multi-Reverb com 8 diferentes tipos do efeito num tamanho compacto, além de oferecer presets, possibilidade de ser controlado via midi. É o pedal nacional com a maior quantidade de opções o que o trasnforma numa grande opção para quem quer explorar várias possibilidades do efeito. Você vai encontrar no Indigo tanto efeitos mais “tradicionais” como Spring, Hall, como sonoridades mais diferentes como Lo-Fi e Dive. Isso tem seu preço no nível de dificuldade de operação do pedal, mas nada que com o tempo e estudo não possa ser dominado.

Cada tipo de reverb do Indigo recebe uma adição de uma característica através dos knobs Azul e Azul 2. O Spring, por exemplo, recebe um tremolo com os controles citados anteriormente controlando velocidade e profundidade desse efeito. Eu adoro a combinação de reverb com tremolo e gostei bastante da sonoridade que eu extraí aqui, mas senti falta de um pouco mais de profundidade no tremolo. Ele fica mais evidente ao se reduzir a quantidade de decay, mas eu gostaria de ter um sem ter que abrir mão do outro. O modo Hall é bastante musical e capaz de oferecer um timbre gigante! Dá para se perder na sonoridade desse modo ao aumentarmos a quantidade de decay, deixando-soar por bastante tempo. Para quem gosta de ambiências é um prato cheio! O Plate é um tipo de reverb bem bacana para quem quer explorar um lance mais voltado para Surf Music (dentre outras aplicações, é claro). Funciona muito bem tanto para reverbs curtos como para sonoridades com mais amplitude. O Modulation é o último tipo do primeiro grupo de reverbs e oferece a mistura de reverb com chorus. E preciso dizer que o resultado final é bem legal! O reverb nesse modo soa bem grande e o Chorus acrescenta um movimento muito musical e profundo ao efeito.

O segundo banco de reverbs (o pedal é dividido em 2 bancos com 4 tipos de reverb cada) inicia com o modo Room, que é um modo que simula a reverberação em pequenos quartos. Então você já espera uma sonoridade mais contida e menos espacial, mas mesmo assim bem musical. Ideal para quem quer dar apenas uma “molhadinha no timbre”. O modo Lo-Fi é sem dúvida alguma o timbre mais diferente oferecido pelo Indigo. Ele oferece um timbre metálico que parece recém saído de uma trilha sonora de ficção científica, com o controle azul controlando a taxa de amostragem, oferecendo possibilidades bem interessantes nessa sonoridade bem específica. Depois temos o tão amado (e ao mesmo tempo odiado) Shimmer. E posso dizer sem medo de errar que está dentre os melhores que já testei. As oitavas podem ficar bastante presentes, especialmente através dos controles azul e azul 2 que controlam o feedback e o volume das oitavas. Dá para fazer uma parede sonora com o decay numa configuração alta e as oitavas soando por bastante tempo. O último modo é o Dive, que é bastante parecido com o shimmer, mas que também adiciona quintas além das oitavas (nesse caso abaixo) a quinta justa também baixa, oferecendo uma sonoridade mais gorda e encorpada e com as quintas tornando uma sonoridade mais dissonante.

Para quem gosta de explorar diferentes possibilidades de ambiências o Indigo é um pedal quase que obrigatório. Com tantas possibilidades num tamanho tão compacto é o melhor pedal de reverb fabricado hoje no Brasil (até a data desse review pelo menos). Em todos os modos existem timbres bem interessantes e musicais o que amplia bastante a atuação dele, ainda mais com a possibilidade de salvar presets. Você será capaz de saltar de uma sonoridade simples e comportada de Spring reverb para um timbre gigante de Shimmer com apenas um clique graças ao presets. Eu imagino que com uma controladora Midi as possibilidades do pedal se ampliarão ainda mais, com mais presets e diferentes configurações. É muito legal ver um pedal com essa qualidade aqui no Brasil e sem duvida o Indigo é um dos melhores pedais lançados no mercado em 2021.

Facilidade de Usar/Achar bons timbres

Com tantos recursos, operar o Indigo pode ser um desafio para quem está acostumado com pedais mais simples. O pedal oferece muitas possibilidades e é preciso ler o manual com bastante cuidado para entender e extrair o que ele pode oferecer de melhor. Depois de encontrar os melhores timbres e organizá-los em presets, vai ser só curtir as sonoridades. São 8 presets que podem ser salvos no pedal o que é suficiente para timbres bem distintos.

Regulagem Favorita

Modo: Spring

Decay: 11:00h

Mix: 1:00h

Azul: 5:00h

Azul 2: 5:00h

Tone: 1:00h

1 Comment

  1. […] Dream Machine da VTR Effects. mantém o ótimo padrão de qualidade que já havíamos observado no Indigo v.2. A pintura é muito bem executada sem nenhum tipo de falha e arte escolhida é bem enigmática. O […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *