Option 5 Square Tone Fuzz
julho 4, 2013
Primeiras Impressões: Wee Beaver da El Músico Loco FX!
julho 7, 2013

Entrevista: Pigtronix

Num mercado tão repleto de opções e  novidades, fica cada vez mais difícil escolher o que usar. Tudo acaba soando meio parecido e são poucos os fabricantes que buscam algum tipo de inovação.

Nessa categoria se encaixa a Pigtronix. Olhando para o futuro sem deixar de levar em consideração o que foi feito no passado, a marca vem ganhando cada vez mais espaço com pedais cada vez mais bacanas!

Confira o papo que tivemos com o dono da marca e aguardem! Eles vem vindo com tudo para o Brasil!

 

Pedais & Efeitos: David, você pode nos contar como e quando começou o seu interesse por pedais?

David: Quando eu estava na faculdade, um amigo cujo apelido era “Pigpen” construiu um Envelope Phaser do livro “Electronic Projects for Musicians” do Craig Anderton para seu último ano na classe de física. Ele(Pigpen) me pediu para demonstrar o dispositivo para o departamento de física e eu fiquei espantado de quão legal ele soou. Depois disso, ele me ensinou como soldar e construímos outro envelope Phaser e um Compressor Óptico em rack.

Pedais & Efeitos: E em que momento você decidiu criar a Pigtronix?

David: Honestamente, a Pigtronix no começo era apenas uma piada. Nós fantasiamos de que nosso amigo Pigpen poderia projetar os pedais, nosso amigo Brain poderia fabricá-los e eu poderia fazer o marketing e as vendas. Isso foi em 2001. Foi em 2003, quando Brian veio me visitar em Nova York que as conversas sobre começar a Pigtronix começaram a ficar sérias. A esta altura, Pigpen tinha optado por seguir uma carreira acadêmica na Universidade de Cornell, mas eu tinha começado a construir pedais desde que ele me ensinou alguns anos antes. Eu estava trabalhando em uma gravadora em Nova York e as vendas de CD’s começaram a despencar e a famosa loja Tower Records havia fechado. Era o momento de eu entrar em uma outra área da indústria da música. Eu já havia trabalhado na Guitar  Center e tinha uma noção do mercado varejista para pedais de efeito então a Pigtronix foi uma aventura muito emocionante para se começar.

Pedais & Efeitos: Qual foi o primeiro pedal desenvolvido e comercializado já com a marca?

David: Nós lançamos a Pigtronix na NAMM de verão em 2004 com o mesmo Envelope Phaser que foi projetado pelo Pigpen na Universidade. Eu tinha feito uma série de modificações no design mais ainda era muito semelhante ao esquema original do Craig Anderton. Esse é o Pigtronix EP-1 Envelope Phaser e foi um sucesso. O pedal foi usado por Maroon 5, Soulive, John Scofield, Vernon Reid, Flaming Lips, Victor Wooten, Marcus Miller e Bakithi Kumalo. Foi revisado pelas revistas Guitar Player, Keyboard, Electronic e Bass Player. Ele ainda acabou na capa da revista Guitar e foi nomeado um dos 10 melhores pedais “estranhos” de todos os tempos pela revista Guitar World.

Pedais & Efeitos: Como funciona o processo de Desenvolvimento de vocês? Quanto tempo leva em média uma ideia ser transformada em produto e ir para o mercado?

David: Isso depende do projeto em que estamos trabalhando. Alguns projetos levam de um a dois meses. O Infinity Looper levou três anos e meio.

Pedais & Efeitos: Na hora de desenvolver um novo produto, o que é levado mais em consideração? Uma boa ideia que surgiu dentro da empresa ou uma necessidade que vocês perceberam no mercado?

David: Depois que nós experimentamos algum sucesso no lançamento do Envelope Phaser original ficou claro para mim que precisávamos de um guru na área analógica…Um mestre no design de efeitos analógicos para ajudar a aumentar a nossa linha de produtos. Fiquei muito feliz ao ser apresentado a Howard Davis, o homem que projetou muitos dos classicos pedais da Electro-Harmonix nas décadas de 70 e início da década de 80, principalmente o Deluxe Memory Man. Howard tem feito os circuitos originais analógicos para cada pedal da Pigtronix desde 2005. Quando estamos desenvolvendo um produto em conjunto, eu levo o conceito a Howard que incluem os objetivos sonoros, layout de controle geral, preço estimado e público-alvo. Howard então monta um protótipo aberto e vamos forçando pra ver até onde ele pode ir. Depois ele vai para o layout PCB onde geralmente tem de ser modificadoo desenho para que fique perfeito. Eu sou o único que faz essa cirurgia e ajustes para que o projeto se adeque ao padrão de produtos Pigtronix. As vezes passamos por até 5 revisões na PCB antes que o produto esteja pronto para ir para a produção.  Quando se decide fazer um produto novo, é também importante ter em conta a gama de efeitos da Pigtronix disponíveis, bem como de outros fabricantes. Eu sempre viso projetar pedais que se destacam por ter uma funcionalidade exclusiva ou uma abordagem para a tecnologia que permitem  novos sons e versatilidade em um pedal compacto e acessível.

 

Pedais & Efeitos: O que eu particularmente gosto na Pigtronix é que vocês sempre fogem do “lugar comum” nos seus pedais.Sempre com alguns recursos ou possibilidades a mais. Isso é parte essencial da Pigtronix?

David: Na Pigtronix nós amamos os sons clássicos dos equipamentos vintage, mas nós vemos como nossa missão ir além dessas tradições e abrir novos caminhos para que os músicos possam produzir novos sons. Em qualquer pedal Pigtronix você pode obter muitos dos sons vintage que existem em outros pedais, mas sempre há algo mais que ovcê pode esperar e vai lhe surpreender.

Pedais & Efeitos: Falando nisso, qual o grande diferencial da marca na sua opinião? O que torna a Pigtronix única?

David: A Pigtronix sempre teve uma filosofia. Desde o início nos possuímos o lema FAT(Tecnologia analógica futurista). Isso significa fazer coisas novas, usando uma tecnologia analógica, que foi abandonada pela maioria das empresas do nosso setor no início dos anos 80 quando o micro processamento digital se tornou viável. Na maioria dos casos, nossos projetos utilizam alguma forma de processamento paralelo para alcançar efeitos tremendos com ruído muito baixo. O que você não ouve é quase tão importante quanto o que você ouve. O Processamento paralelo trás uma abordagem de estúdio para os nossos pedais. Um grande exemplo disso é a compressão paralela do Philosopher’s Tone que fornece ao mesmo tempo, um sustain infinito e um ataque limpo de palheta. Outros exemplos são os efeitos em paralelos misturados do Keymaster, o fuzz paralelo e as seções de overdrive no Disnortion, os 6 tap delays paralelos no Echolution ou as duas linhas paralelas de Delay BBD no novo Quantum Time Modulator. Em todos os casos, nós vamos colocar  sensibilidade ao toque e dinâmica no topo da lista de prioridades nas características de desempenho. Eu acredito que existe uma ligação sagrada entre as mãos de um músico e os sons que saem do alto-falante. Qualquer pedal que você colocar nessa cadeia deve intensificar essa conexão ou, pelo menos, não interrompê-la. Na maioria das vezes um sistema digital soa muito artificial e corrompe a verdadeira natureza da vibração das cordas.  É verdade que vivemos em um mundo digital e insistir que o futuro pode ser analógico é coisa de um louco que insiste que os porcos podem voar. Estou aqui para dizer que os porcos não só estão voando, eles estão indo para o espaço sideral!

Pedais & Efeitos: Qual o pedal mais vendido da Pigtronix e qual o seu preferido?

David: O Philosopher’s Tone é hoje o nosso pedal campeão de vendas em nossa história. Ele venceu o cobiçado prêmio de “Escolha do Editor” na revista Guitar Player e é utilizado por músicos famosos como Andy Summers, Dweezil Zappa, Billy Sheehan, Tony Levin e Uli Jon Roth. Atualmente nosso pedal mais vendido é o Infinity Looper. E isso é uma coisa boa, pois foi um projeto que custou muito para projetar e fabricar. Foi um risco que assumimos que agora está se pagando de uma ótima maneira. O Infinity é o looper mais sofisticado do mercado em termos de  velocidade geral, a fidelidade, headroom, capacidade de armazenamento e interatividade musical intuitiva. O meu pedal favorito é o Echolution. Ele tem os mais doces sons de Delay modulado e as suas inúmeras possibilidades sempre me intrigam como músico. 

 

Pedais & Efeitos: Vocês tem um time de artistas e endorsers incrível! Como foi atrair tanta gente boa para trabalhar com vocês?

David: É simples! A Pigtronix faz pedais como ninguém mais! Ao invés de produzir clones ou variações de desenhos clássicos ou tentar imitar o som de equipamentos antigos de uma forma digital, a Pigtronix faz produtos que criam novos sons e texturas para músicos que querem fazer a sua própria música original. Além de nosso equipamento conseguir reproduzir timbres clássicos há SEMPRE algum aspecto especial a cada projeto que permite que ele se destaque. Essa é a razão pela qual músicos top estão usando os pedais da Pigtronix.

Pedais & Efeitos: O Brasil é um mercado emergente e cresce cada vez mais. Os seus pedais ainda não chegaram oficialmente ao Brasil. Você vende diretamente para cá ou tem algum plano para que seus pedais estejam por aqui?

David: A Pigtronix está ansiosa para encontrar um parceiro para distribuição exclusiva no Brasil. Nossa marca é muito rentável para os comerciantes e ainda acessível aos músicos. Todos os pedais que fabricamos são fabricados à mão nos EUA e testados por músicos profissionais antes de serem enviados. Temos alguns amigos no Brasil como  Pedro Gomes (filho da Baby Consuelo e Pepeu Gomes) e Murilo Romano que estão tocando com Pigtronix agora. Esperamos ajudar todos no Brasil a obter FAT(Tecnologia analógica futurista)!

Pedais & Efeitos: A Pigtronix já possui uma linha bem completa de pedais. O que você gostaria de lançar que ainda não lançou? E aproveitando o tema… Você pode nos adiantar quais serão os próximos lançamentos da marca?

David: Há ainda grandes pedais por vir pela Pigtronix! O próximo é o Quantum Time Modulator que é um Dual Chorus/Vibrato com LFO e controle Envelope. Ele foi projetado em parceria com o Dweezil Zappa para obter os sons do álbum “Shut Up and Play yer Guitar” do Frank Zappa. Após ele vem o Gatekeeper, um Noise Gate com qualidade de estúdio no tamanho de um pedal. E depois virão o Echolution 2 e o Echolution 2 Deluxe, que são avançadas máquinas de Delay, totalmente programáveis com todo tipo de possibilidades malucas e um aplicativo para computador dedicado. Depois disso vem um pedal de modulação analógica que eu não posso falar muito sobre ainda, mas não tenho duvidas de que vai ser um dos nossos pedais mais vendidos. Nós ainda estamos trabalhando em alguns pedais Sintetizadores e em alguns conceitos de distorção complexos. 

Pedais & Efeitos: David, muito obrigado pela entrevista! Quer deixar algum recado pra os nossos leitores?

David: Muito obrigado pela oportunidade! Minha história é a de um cara de muita sorte. É sobre acreditar no espírito criativo e lenvantar-se para algo que está fora do mainstream. Brian e eu construímos um negócio bem sucedido, com distribuição por todo o mundo como bons amigos trabalhando com muitos dos nossos heróis musicais e contribuindo para a evolução dos efeitos. Play Pigtronix, Get FAT!

 

 

E também em inglês!

Pedais & Efeitos: David, can you tell us how and when did your interest in pedals?

David:   When I was in college, a friend who was nicknamed “Pigpen” built an Envelope Controlled Phaser from Craig Anderton’s “Electronic Projects for Musicians” book for his senior year Physics class. Pigpen asked me to demonstrate the device for the Physics department and I was amazed by how cool it sounded. After this, Pigpen showed me how to solder and together we built another envelope controlled phaser and optical compressor that was a rackmount unit with relay based switching.

 

Pedais & Efeitos: And in that moment you decided to create Pigtronix?

David: Honestly, Pigtronix was at first just a joke. We had the fantasy that Pigpen could design the pedals, our friend Brian could get them manufactured and I could do the marketing and sales. That was in 2001. It was in 2003, when Brian came to visit me in New York City that we began to be serious about starting Pigtronix. By this time, Pigpen had moved on to an academic career at Cornell University, but I had been building pedals ever since he taught me several years earlier. I was working at a record label in NYC and at this time CD sales had begun to plummet and the famous Tower Records store had closed. It was time for me to get into a different part of the music industry. I had once worked at Guitar Center and had a sense of the retail market for guitar effects, so Pigtronix was a very exciting adventure to start.

Pedais & Efeitos: What was the first pedal ever developed and marketed with the brand?

David: We launched Pigtronix at Summer NAMM in 2004 with the same Envelope Phaser design that Pigpen had originally made in college. I had made a number of modifications to the design, but it was basically very similar to Craig Anderton’s original schematic. This pedal was the Pigtronix EP-1 Envelope Phaser and it was a hit. The pedal was used by Maroon 5, Soulive, John Scofield, Vernon Reid, the Flaming Lips, Victor Wooten, Marcus Miller and Bakithi Kumalo. The pedal was reviewed by Guitar Player Magazine, Keyboard Magazine, Electronic Musician and Bass Player Magazine. It even ended up on the cover of 20th Century Guitar magazine and was named one of the top 10 weirdest pedals of all time by Guitar World Magazine.  

Pedais & Efeitos: How does the process of development you? How long it takes on average an idea be transformed into a product and go to market?

David: This depends on the project we are working on. Some designs come together in 1-2 months. The Infinity Looper took us 3.5 years.

 

Pedais & Efeitos: When developing a new product, which is taken more into account? A good idea that emerged within the company or a need you saw on the market?

David: Once we experienced some success with the original Envelope Phaser, it was clear to me that we needed an analog guru… a master of analog effects design to help us grow the line of products. I was very fortunate to be introduced to Howard Davis, the man who designed many of the classic Electro-Harmonix pedals from the late 70’s and early 80’s, most notably the Deluxe Memory Man. Howard has done the original analog circuit design for every Pigtronix pedal since 2005. When we are developing a product together, I usually will bring the concept to Howard that will include the sonic goals, general control layout, target price and intended audience. Howard will then make an open frame prototype and we will push that as far as it can go. Then it goes into PCB layout and we will usually have to modify the design to perfection once it has been put on the PCB. I am the one who does this surgery and tweaking to push the design to suit the musical standard of Pigtronix product. Sometimes we go through as many as 5 PCB revisions before a product is ready to go to production. When we decide to make a new product, it is also important to take into account the range of effects available from Pigtronix as well as other manufacturers. I always aim to design pedals that stand out with some unique functionality or approach to the technology that allows new sounds and versatility in a compact and affordable stompbox.

Pedais & Efeitos: What I particularly like in the Pigtronix is that you always stay away from the “common place” in their pedais.Always with few resources or more possibilities. This is an essential part Pigtronix?

David: At Pigtronix we love and respect the classic sounds of vintage gear but we view it as our mission to go beyond these traditions and break new ground for musicians to make new sounds. In any Pigtronix pedal you will find many of the vintage sounds that you can get from other pedals but there is always something extra waiting to surprise and entertain you.

Pedais & Efeitos: Speaking of which, what’s the big difference of the brand in your opinion? What makes Pigtronix single?

David: Pigtronix has ALWAYS had a philosophy… from the very beginning, we have stood for the motto of F.A.T. “Futuristic Analog Technology.” What this means is doing new things with analog technology that was abandoned by most of the companies in our industry in the early 80’s when affordable digital micro processing became available. In most cases our designs use some form of parallel processing to achieve tremendous effects sounds with very low noise. What you DO NOT hear is just as important as what you DO hear. Parallel processing brings a studio approach to our pedals. A great example of this is the parallel compression in the Philosopher’s Tone that provides infinite sustain at the same time as clean pick attack. Another example is the parallel effects blending in the Keymaster pedal or the parallel Fuzz and Overdrive sections in the Disnortion pedal, the 6 parallel delay taps in the Echolution or the dual parallel BBD delay lines in the new Quantum Time Modulator. In every case, we put touch sensitivity and dynamic range at the top of the priority list for performance characteristics. I believe that there is a sacred connection between the musician’s hands and the sound waves coming out of the speaker. Any pedal you put in the chain should enhance this connection or at least, not disrupt it. In most cases, a digital system feels very artificial and corrupts the true nature of the vibrating string. It is true that we live in a digital world and to insist that the future can be analog is about a crazy as insisting that pigs can fly. I am here to say that Pigs are not just going to fly, they are going to outer space!

 

Pedais & Efeitos: What’s bestselling Pigtronix pedal and which is your favorite?

David: The Philosopher’s Tone is our all-time best selling product. It won the coveted editor’s pick award from Guitar Player Magazine and has been used by many famous musicians like Andy Summers, Dweezil Zappa, Billy Sheehan, Tony Levin and Uli Jon Roth. Currently, the Infinity Looper is Pigtronix best seller. This a good thing, since that pedal took tremendous resources to design and manufacture. It was a risk we took and it is now paying off in a big way. The Infinity is the most sophisticated looper on the market in terms of overall speed, fidelity, headroom, storage capacity and intuitive musical interactivity. My favorite pedal to use is the Echolution. It has the sweetest modulation delay sound and its Golden Ratio rhythms never cease to amaze and intrigue me as a player.

Pedais & Efeitos: You have an incredible team of artists and endorsers! How was attracting so many good people to work with you?

David:  It is simple. Pigtronix makes effects like no one else. Instead of producing clones or variations of classic designs or trying to mimic the sounds of old gear in a digital way, Pigtronix makes products that create new sounds and textures for musicians who want to make their own original music. While our gear will re-produce many of the classic sounds, there is ALWAYS some special aspect to each design that lets it stand apart. This is the reason so many top musicians seek to use Pigtronix gear. 

Pedais & Efeitos: Brazil is an emerging market and grows increasingly. Your pedals have not officially arrived in Brazil. You sell directly here or have a plan to get your pedals are here?

David: Pigtronix is eager to find an exclusive distribution partner for Brazil. Our brand is very profitable for dealers and still affordable for musicians. Everything pedal we manufacture is handmade in the USA and tested multiple times by professional musicians before it is shipped. We have some friends in Brazil like Pedro Gomes (son of Baby Consuelo and Pepeu Gomes) and Murilo Romano who are playing Pigtronix now. We hope to help everyone in Brazil to get FAT!

Pedais & Efeitos: The Pigtronix already has a very complete line of pedals. What would you like to launch not yet released? And while the theme … Can you anticipate what the next releases of the brand?

David: There are so many more great pedals still to come from Pigtronix! Next up is the Quantum Time Modulator which is a dual chorus / vibrato with LFO and Envelope control. This was designed in partnership with Dweezil Zappa to get the sounds of Frank Zappa’s album Shut Up and Play yer Guitar. After this will come the Gatekeeper, a studio quality ultra-fast noise gate in a tiny size pedal. Then you will see the Echolution 2 and Echolution 2 Deluxe, which are fully programmable, advanced delay machines with all sorts of crazy features and a dedicated computer application. After that is a new type of analog modulation pedal that I cannot discuss yet, but I think it will be one of our best selling products without a doubt. We are also working on some new synthesizer pedals and complex distortion concepts.

Pedais & Efeitos: Dave, thank you for the interview! Want to leave a message for our readers?

David: Thank you for the opportunity. My story is a very lucky one. It is about believing in the creative spirit and standing up for something that is outside of the mainstream. Brian and I have built a successful business with world-wide distribution while staying good friends, working with many of our musical heroes and contributing to the evolution of effects. Play Pigtronix, Get FAT!

pee
pee

2 Comentários

  1. Junior disse:

    Muito massa! Sou fã desses caras!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *