Tauren Overdrive
dezembro 13, 2018
Hypatia
dezembro 16, 2018

Entrevista: Red Panda

Hoje o nosso bate papo é com o criado de uma das empresas mais inovadoras do mercado de pedais. A Red Panda tem como premissa fugir do lugar comum e surpreender os músicos! Confir a anossa conversa com o criador da marca, Curt Malouin!

Pedais & Efeitos: Curt, muito obrigado por nos conceder essa entrevista! Como surgiu a idéia da fabricar pedais e depois criar a Red Panda?

Curt: Eu sou um engenheiro elétrico e passei a primeira parte da minha carreira escrevendo modelos matemáticos e software de simulações para empresas automobilísticas. À noite eu estava escrevendo software para sintetizadores. Então, cerca de 16 horas por dia na frente do computador, e eu estava realmente sentindo falta de design de hardware. A ideia surgiu quando um amigo me enviou um vídeo do YouTube de um órgão sendo tocado com um velho pedal de guitarra. Eu tinha construído alguns pedais para os amigos na faculdade, e há uma simplicidade e rapidez nos pedais que permitem que você seja criativo enquanto ainda se concentra na sua forma de tocar.

Pedais & Efeitos: Qual foi o primeiro pedal produzido e comercializado pela marca?

Curt: O primeiro pedal que fiz foi um Bit Crusher para o sistema Line 6 ToneCore em 2009. O The Particle foi lançado em 2011 e foi o primeiro hardware projetado pela Red Panda.

Pedais & Efeitos: A Red Panda é conhecida por produzir pedais com sonoridades que fogem ao tradicional. Essa sempre foi a intenção? 

Curt: Sim. Eu estava interessado em encontrar novas maneiras de manipular o som. Como eu tenho um background de sintetizadores, eu penso na guitarra, pedalboard e amplificador como um grande sintetizador modular.

Pedais & Efeitos: Eu imagino que comercialmente é uma decisão corajosa, já que existe um certo nível de conservadorismo entre a maioria dos músicos. O que você acha?

Curt: A Red Panda é intencionalmente uma pequena empresa, porque eu quero ser capaz de escolher projetos que sejam desafiadores e interessantes. Eu não quero ser forçado a lançar continuamente novos produtos apenas para aumentar a receita. Há músicos com mentalidade experimental suficientes para nos manter em movimento, e estamos muito gratos pelo apoio deles.

Alguns músicos usam nossos produtos para efeitos “quase tradicionais”, como um atraso que tem aleatoriedade sutil ou mudança de timbre nas repetições. Pode ser muito sutil para perceber, mas apenas inesperado o suficiente para atrair a atenção do ouvinte.

Pedais & Efeitos: Como funciona o seu processo de desenvolvimento de novos produtos? Quanto tempo leva do início do processo até o produto estar disponível para o público?

Curt: Começo com um som ou algoritmo que quero explorar. Eu uso o software de computação numérica para projetar algoritmos e, em seguida, começo a escrever o código em uma mistura de C ++ e linguagem assembly no hardware real. Alguns dos circuitos são comuns entre os pedais (já que são digitais), mas o layout de controle é específico para cada pedal. Uma vez que o efeito básico é esboçado e eu tenho um pedal de trabalho, eu construo alguns protótipos para obter feedback e interagir sobre os recursos e o som. Todo o processo geralmente leva de 12 a 24 meses. O Tensor demorou mais, porque é uma plataforma de hardware totalmente nova, desde o gabinete até o chip DSP.

Pedais & Efeitos: Quantas pessoas trabalham na Red Panda hoje?

Curt: Existem atualmente quatro de nós. Duas pessoas passam a maior parte do tempo construindo pedais, mas também fazem design gráfico, suporte técnico e gravam vídeos. Uma pessoa se concentra em mídias sociais e relações com artistas. Eu faço a maioria das outras coisas. É uma empresa pequena, então todos nós usamos muitos chapéus e é difícil atribuir os cargos.

Pedais & Efeitos: Qual o pedal mais vendido da Red Panda e qual o seu pedal favorito? (Pode ser fabricado por vocês ou de outro fabricante).

Curt: Somos mais conhecidos pelo Particle, que foi provavelmente o primeiro pedal de delay granular (2011). Eu não sou músico, então minha perspectiva é diferente, mas eu gosto da Space Station da Digitech. Foi um pedal experimental que ultrapassou os limites do processamento de sinal digital na época, mas ainda era musical.

Pedais & Efeitos: E qual o pedal fabricado por vocês que ainda não foi “descoberto” pelo público? Aquele que tem um timbre matador mas não teve o reconhecimento merecido ainda.

Curt: O Raster parece simples se você olhar para os seus recursos, mas a forma como os controles interagem torna muito divertido de tocar e capaz de uma enorme variedade de sons além dos delays básicos.

Pedais & Efeitos: O Brasil tem um grande mercado e seus pedais por um tempo estiveram disponíveis no nosso país. Ainda existe alguma importadora trazendo os pedais? Caso não haja você vende diretamente para cá ou tem algum plano para ter os pedais sendo vendidos aqui?

Curt: Nós enviamos para o Brasil, e muitos de nossos lojistas de internet tambémenviam. O Brasil é um país grande e diversificado, com muitos músicos muito inovadores. Eu adoraria ter um parceiro local que ajudasse as pessoas a aprender sobre nossos produtos e evitar alguns dos problemas de envio.

Pedais & Efeitos: E quais os próximos projetos da empresa? Pode nos antecipar alguma notícia exclusiva?

Curt:  A versão 2 do Particle está chegando em breve, com algumas melhorias para facilitar o uso ao vivo. Ele terá entrada / saída estéreo, pré-ajustes, soft-touch switches, tap tempo e controle MIDI completo.

Também estamos finalizando uma atualização de firmware do Tensor que adicionará presets e funções de loop de amostragem / reativação.

Pedais & Efeitos: Muito obrigado por nos conceder essa entrevista, Curt! Querem deixar algum recado para os nossos leitores?

Curt:  Nós adoramos ouvir as pessoas usando nossos produtos de maneiras interessantes, então, por favor, nos marque nas mídias sociais ou nos envie um link bandcamp / soundcloud / etc.

Obrigado!

 

E Também em inglês!

 

Pedais & Efeitos: Curt, thank you for giving us this interview! How did you come up with the idea of making pedals and then creating the Red Panda?

Curt: I am an electrical engineer and spent the first part of my career writing mathematical modeling and simulation software for automobile companies. At night I was writing software synthesizers. So, about 16 hours a day in front of the computer, and I was really missing hardware design. The idea came when a friend sent me a YouTube video of an organ playing through an old guitar pedal. I had built a few pedals for friends in college, and there is a simplicity and immediacy to pedals that allows you to get creative while still focusing on your playing.

Pedais & Efeitos: What was the first pedal produced and marketed by the brand?

Curt: The first pedal I did was a bit crusher for the Line 6 ToneCore system in 2009. The Particle came out in 2011, and was the first Red Panda-designed hardware.

Pedais & Efeitos: The Red Panda is known for producing pedals with sonorities that run away from the traditional. Was that always the intention?

Curt: Yes, I am interested in finding new ways to manipulate sounds. Since I come from a synthesizer background, I think of the guitar, pedal board, and amp as a big modular synth.

Pedais & Efeitos: I imagine that commercially is a brave decision, since there is a certain level of conservatism among most musicians (especially guitar players). What do you think?

Curt: Red Panda is intentionally a small company, because I want to be able to choose projects that are challenging and interesting. I do not want to be forced to continually put out new products just to increase revenue. There are enough experimentally-minded musicians to keep us going, and we are very grateful for their support.

Some musicians use our products for “almost traditional” effects, such as a delay that has subtle randomness or pitch shifting in the repeats. It might be too subtle to notice, but just unexpected enough to grab the listener’s attention.

Pedais & Efeitos: How does your new product development process work? How long does it take from the beginning of the process until the product is available to the public?

Curt: I start with a sound or algorithm I want to explore. I use numerical computing software for designing algorithms, then start writing the code in a mix of C++ and assembly language on the actual hardware. Some of the circuits are common between pedals (since they are digital), but the control layout is specific to each pedal. Once the basic effect is sketched out and I have a working pedal, I build a few prototypes to get feedback and iterate on the features and sound. The whole process usually takes 12-24 months. The Tensor took longer, because it is an entirely new hardware platform, from the enclosure to the DSP chip.

Pedais & Efeitos: How many people work at Red Panda?

Curt: There are currently four of us. Two people spend most of their time building pedals, but also do some graphic design, tech support, and shooting videos. One person focuses on social media and artist relations. I do most of the other stuff. It is a small company, so we all get to wear many hats and it is hard to assign job titles.

Pedais & Efeitos: What is the best selling pedal Red Panda and what is your favorite pedal? (Can be manufactured by you or another manufacturer).

Curt: We are best known for the Particle, which was probably the first granular delay pedal (2011). I am not a musician, so my perspective is different, but I like the Digitech Space Station. It was an experimental pedal that pushed the limits of digital signal processing at the time, but was still musical.

Pedais & Efeitos: And what is the pedal made by you that has not yet been “discovered” by the public? The one who has a killer sound but has not had the recognition deserved yet.

Curt: The Raster sounds simple if you look at its features, but the way the controls interact makes it very fun to play and capable of a huge range of sounds beyond basic delays.

Pedais & Efeitos: Brazil is an emerging market that has grown a lot and its pedals are not yet available in our country. Do you sell directly here or do you have any plans to have the pedals being sold here?

Curt: We do ship to Brazil, and many of our internet dealers also ship. Brazil is a large, diverse country with a lot of very innovative musicians. I would love to have a local partner who could help people learn about our products, and avoid some of the shipping hassles.

Pedais & Efeitos: And what are the company’s next projects? Can you anticipate some exclusive news?

Curt: Version 2 of the Particle is coming soon, with some improvements to make it easier to use live. It will have stereo input/output, presets, soft-touch switches, tap tempo, and full MIDI control.

We are also finishing up a Tensor firmware update that adds presets and loop sampling/retriggering functions.

Pedais & Efeitos: Thank you so much for giving us this interview, Curt! Do you want to leave a message for our readers?

Curt: We love to hear people using our products in interesting ways, so please tag us on social media or send us a bandcamp/soundcloud/etc link.

Thank you!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *