Entrevista: Hutsch Guitars

Logo Pedais e Efeitos
Top 5: Melhores pedais de 2018
janeiro 3, 2019
Falcon Overdrive
janeiro 7, 2019

Entrevista: Hutsch Guitars

Eu conheci o trabalho do Henrique e da Hutsch Guitars na primeira edição da Music Show Experience. E devo confessar que o trabalho me deixou muito bem impressionado. As guitarras eram muito bonitas e bem construídas e tem um potencial absurdo para conquistar o mercado. É uma marca que precisa ser mais conhecida e para isso fomos bater um papo com o mineirinho bom de prosa!

Pedais & Efeitos: Como surgiu o seu interesse por instrumentos Musicais?

Henrique: Já desde criança manifestava interesse em tocar um instrumento. Com cerca de 9 anos de idade, cheguei a fazer aulas de bateria por um tempo, e também de violão por interesse próprio. Mas só descobri a guitarra com 14 anos. Desde então não larguei mais.

Pedais & Efeitos: E o interesse pela fabricação de instrumentos? E como foi o teu processo de formação e especialização para essa área?

Henrique: Primeiro tenho que lembrar da minha infância onde eu desmontava todos os meus brinquedos e fingia estar consertando eles como brincadeira. Isso estava no sangue mesmo, com o tempo passei a consertar os equipamentos de casa, e no dia que ganhei minha primeira guitarra adivinha o que fiz? Desmontei ela toda lógico. Passado um tempo um instrumento meu passou a apresentar problemas e buscando solução pra ele conheci a profissão de luthier. Levei meu instrumento a um profissional que o consertou e eu fiquei realmente intrigado com aquilo. Como alguém poderia viver daquilo, e qual conhecimento necessário era para se consertar um instrumento. A partir daí não descansei até encontrar um curso que oferecesse o conhecimento necessário para tal profissão. E ao fazer o curso de manutenção percebi que era possível para fazer meu instrumento, e inclusive existia um curso para isso também no mesmo local. Então foquei mais um tempo e saí de lá com minha primeira guitarra.

Pedais & Efeitos: A criação da Hutsch Guitars foi uma evolução natural de todo esse processo, certo? E quando a empresa foi efetivamente criada?

Henrique: Comecei trabalhando apenas com manutenção, fui desenvolvendo mais em cada etapa, parte elétrica, regulagem, trastes, pintura, colagens. Quando atingi um bom nível no geral dos serviços passei a executar as construções mas só comecei a Hutsch mesmo quando percebi que era possível oferecer um produto de qualidade para os clientes.

Pedais & Efeitos: Qual foi o primeiro instrumento construído por vocês já como Hutsch?

Henrique: Construí uma guitarra telecaster para deixar de mostruário na loja, porque era um instrumento bastante falado entre os músicos que frequentavam minha oficina. Mas a expectativa de ter um instrumento de mostruário foi rapidamente frustada porque vendi o instrumento em menos de 1 mês. Aí o resto foi história.

Pedais & Efeitos: Quantas pessoas trabalham na empresa hoje?

Henrique: Hoje tenho 5 assistentes, trabalhando diariamente comigo.

Pedais & Efeitos: O item “prazo de entrega” sempre é uma questão polêmica quando se pensa em Lutheria e instrumentos Custom Shop. Como você trabalha com relação a isso?

Henrique: Isso é algo muito difícil de lidar e acho que todos passam por problemas similares, uns mais e outros menos, mas passamos. Primeiro que pra se ter um prazo “rápido e eficiente” é necessário uma boa estrutura. Temos que lidar com outros serviços também, como regulagens, colagens, pinturas e etc, e se depender só da sua mão está fadado a demorar. Precisa ter um estoque de peças e madeiras já preparado , pois hoje em dia é muito ruim conseguir bons materiais de forma rápida e barata. Executar um instrumento não é difícil, com tudo na mão é relativamente rápido, mas pra nós que fabricamos customizados, ainda temos que lidar com detalhes, e esses detalhes são o maior diferencial de qualidade do produto, porém são um entrave aos prazos, pois saem fora do padrão e acabam dificultando a construção.

Pedais & Efeitos: É mais difícil tentar “emplacar” um modelo próprio no mercado? Me parece que existe uma resistência ao novo por parte de diversos guitarristas…

Henrique: Eu não acho que o problema são os guitarristas nesse caso, eles fazem parte sim, mas vejo nós luthiers reclamando muito disso, mas poucos realmente tentam fazer algo diferente. Não precisa ser nada totalmente fora da curva, mas experimentar novos designs, novos materiais, novas técnicas, é importante, e isso com o tempo será reconhecido. Sem querer menosprezar, mas é só ver um site gringo de luthieria que a gente repara o quanto somos atrasados. Daqui a 30 anos estaremos fazendo o que eles já fazem hoje. Se nossa classe não entender que é necessário esse passo novo, nós vamos estagnar no lugar.

Pedais & Efeitos: Quantos (e quais) modelos próprios você fabrica hoje?

Henrique: Temos 3 modelos próprios, penso em expandir mais 2, estão em fase de projeto, e assim que terminar eles a idéia é não mais fazer instrumentos baseados em outras marcas.

Pedais & Efeitos: Qual a capacidade de produção mensal da Hutsch?

Henrique: Nós fabricamos de 1 a 2 instrumentos por mês.

Pedais & Efeitos: Existe um planejamento para ampliação da produção ou a intenção é manter o processo o mais artesanal possível?

Henrique: Não seria um plano para ampliar, pretendemos manter as vendas no formato de encomenda mesmo, mas queremos mais fortalecer a marca do que efetivamente aumentar a produção, inclusive um passo importante foi a feira da musica em São Paulo que participamos, lá fomos com a intenção de mostrar o produto no maior centro comercial do país e já vamos colhendo resultados inspiradores.

Pedais & Efeitos: Você montou um interessantíssimo curso de lutheria online. O que as pessoas podem esperar desse curso e qual nível elas podem atingir ao participar dele?

Henrique: Olha eu percebo que tem muitos músicos e amadores que não fazem a menor ideia de como se comporta um instrumento musical. Veja bem, comparando, se você sabe que pode entrar em um carro e fazer uma curva a 150 por hora, você terá segurança ao fazer a curva a 150 ou em uma velocidade menor. Já nos instrumentos, as pessoas não sabem os limites, não sabem inclusive escolher qual o melhor tipo de instrumento comprar para seu estilo musical. Se você é fã do Stevie Vai e eu te disser que vai sofrer 2 vezes mais tentando tocar uma musica dele em uma les paul , provavelmente você não vai comprar a les paul. Mas como ninguém sabe, vai comprando guitarra que não tem nada a ver e depois acha que a culpa é dele de não ter aprendido. Outra coisa é a noção que o instrumento necessita de ajustes, muitos tocam por anos com o instrumento completamente torto e fora de padrão, pra só depois quando não tem mais jeito levar o instrumento no luthier. E por último, eu sou muito procurado por pessoas do interior ou regiões afastadas que não tem o mínimo acesso a um luthier e que não tem ninguém a recorrer caso necessitem de ajustes básicos. Então eu quero levar para todo mundo uma forma fácil e eficiente de conhecer, manter, e ajustar seu instrumento sem necessidade de ferramentas especiais, ou técnicas mirabolantes. Em casa qualquer um pode fazer com ferramentas básicas e conhecimento limitado. Aos que já sabem manusear ou tem interesse em se tornar um profissional de luthieria é uma ótima maneira de conhecer novas técnicas e fortalecer o conhecimento da área.

Pedais & Efeitos: E planos para o futuro? O que vem por aí na Hutsch Guitars?

Henrique: A curto prazo o desenvolvimento de mais 2 instrumentos, e fechar a ficha técnica das minhas construções. A médio prazo expandir o público e a longo prazo quem sabe uma fábrica pode sair do papel. Vamos trabalhar forte para isso acontecer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *